Oct
19
Nosso fim de ano: o que (não) vai rolar?
Não sei como foi 2017 para vocês, mas para mim está sendo um ano de uma série de mudanças. Intensas, insanas.

Então quando as lojas começam a pendurar os enfeites de halloween e algumas coisas começaram a entrar um pouco mais nos trilhos, seria o momento de entrar em mais uma loucura: o financiamento coletivo do Seguem Alterações do cliente, em parceria com o começo do Teia Club.
Pensamos, conversamos com as pessoas mais próximas no nosso boteco, e pensamos que era melhor não. Eu até estava animado, mas percebi que as coisas seriam mais contra do que ao nosso favor.
Então decidimos por uma saída estratégica. Adiaremos esse financiamento para o ano que vem e vamos aproveitar o fim do ano para organizar algumas coisas. Algumas vocês vão ver a diferença, algumas talvez demorem mais para perceber.

Mais conteúdo no blog, e com um enfoque diferente

Talvez nem todo mundo saiba, mas outra atividade que eu desenvolvo é a de redator freelancer para blog em geral, e como as coisas andaram mudando um pouco neste mercado, achei que era o momento mais que adequado para começar a mudar junto.
Fiz alguns cursos, aprendi algumas técnicas e, acima de tudo, desenvolvi um senso maior da necessidade de planejamento o conteúdo a ser entregue nesse blog, além, é claro, será mais perceptível a mudança de posicionamento que daremos ao Studio e aos jogos que iremos publicar, tanto no PNP quanto para o prosseguimento do Teia Club (fiquem tranqüilos, muita coisa sobre o Teia Club será publicada antes do financiamento, para que as pessoas possam se acostumar com a ideia).
Estamos pensando em uma mudança de layout no blog também… mas quem sabe para quando?

E o calendário de Jogos?

Quem acompanha mais o nosso trabalho deve saber que tentamos fazer um calendário de lançamentos neste ano. Ainda estamos avaliando o quanto ele foi positivo, mas isso é algo que será analisado com mais calma e com certeza o papel dos canais será reavaliado dentro da nossa estratégia como empresa Apenas mais um jogo será lançado no PNP esse ano, e depois disso apénas ano que vem.
Queremos nos tornar, antes de tudo uma editora para gateways e para jogos que serão sempre amigáveis para iniciantes. Ou seja, quando o jogo não for um gateway, ele vai ter uma variação de regras para torná-lo um gateway e quando ele for um gateway, ele vai ter um modo mais avançado.  Assim você ao comprar um jogo do Studio Teia de Jogos estará comprando mais de uma experiência, e as eventuais expansões serão muito mais “twists” e variações dentro do mesmo tema do que simples acréscimos de cartas ou um jogador adicional.
Isso vai fazer com que os nossos designs sejam mais desafiadores, e iremos cobrar isso de todo e qualquer autor que for lançar seus jogos conosco (obviamente teremos o prazer de ajudá-los nessa adaptação).

Gostou das novidades? Venha conversar com a gente sobre as suas impressões dessa mudança que anda acontecendo!
Oct
03
5 dicas para fazer um Studio no mesmo estilo do Teia de Jogos

O Studio teia de Jogos Nasceu da minha vontade de fazer jogos de graça e ganhar com isso. Foi inicialmente uma experiência para verificar a plausividade de uma série de teorias que a minha cabeça fez em relação ao livro da Amanda Palmer, A arte de pedir (recomendo a leitura para todos os que fazem arte).

Com isso, e uma filosofia que manteve a gente ativo quando muitos teriam desistido, a gente continua por aí, e como estamos querendo virar editora, e percebemos que muitas pessoas gostariam de ter algo parecido com o nosso Studio, montei as 5 dicas que fizeram com que o Studio fosse adiante e conseguisse ser o que é hoje.

nosso primeiro logo ( muita gente achava que a gente era um Studio de Tatuagem)

1-      Tenha uma missão clara antes de começar, mas comece despretensioso

Antes de fundar o Studio, pense no que realmente você quer fazer. O que no mercado de jogos atual te incomoda e não tem ninguém fazendo nada a esse respeito? Pensa nisso e foca em um objetivo. No nosso caso o objetivo era “fazer dos PNPs algo sustentável para uma empresa”. A gente ainda ta nesse processo, mas já fizemos parcerias com empresas como Mandala, Redbox e Ace Studios, que liberaram PNPs completos de seus jogos!

Resultado de imagem para Super Sam
Arte: Maurício Melo: Devian Art do Autor https://mauricio-melo.deviantart.com/art/Super-Sam-El-Chapulin-Colorado-616009650

2-      Monte uma estrutura que consegue resolver tudo “inhouse”, preferencialmente sem investimento financeiro.

Eu sempre procurei, quando estava chamando os sócios para o Studio, conciliar pessoas com vários talentos e com disposição para arriscar um pouco de tempo. Eu investi um monte de tempo, que eu podia estar com a minha família ou amigos, me divertindo ou trabalhando em algo que me rendesse retorno financeiro imediato, mas preferi investir esse meu tempo em uma ideia de colocar jogos disponíveis para todo mundo. Preferi procurar pessoas dispostas a dividir o risco comigo e a me aturarem (eu sou chato, exigente e tals)

Poster de uma antiga campanha nossa

3-      As pessoas precisam te conhecer: facilite isso

O PNP é uma excelente forma de ter um portfólio online fácil e eficiente para mostrar para as pessoas o que eu sou capaz de fazer como designer, fora que me ajudou a agilizar meus processos como designer. Jogo bom é jogo pronto, e jogo pronto tem de começar a render para o autor, seja grana, seja em divulgação. Existem várias formas de fazer isso, descubra uma e mande bala.

4-      Foque na comunidade que vai se formar ao seu redor

Enquanto você está crescendo, identifique as pessoas que vão conseguir te ajudar a crescer e vá oferecendo pequenos agrados a elas. É o que fizemos com o Padrim, mas você pode usar essa ou outras formas. Fique totalmente à vontade e aprenda com seus erros.

5-      Nada está escrito em pedra

Não tenha medo de ousar (especialmente se você conseguiu o modelo sem investimento financeiro) e não tenha medo de errar. Erramos muito com o Teia, e vira e mexe um erro desses vem cobrar sua taxa. Mas aprendemos com isso, e nos tornamos mais adaptáveis às demandas de um mercado que cresce e que está em constante mudança.

Curtiu as dicas? Comente conosco o que você acha e as suas experiências!

Sep
05
Meus dois centavos: como lidar com as ideias para jogos?
Esses dias teve uma discussão super interessante sobre o que as pessoas fazem para se manter focados no projeto de jogo que estamos no grupo de desenvolvedores. Isso mexeu comigo, porque finalizar projetos sempre foi uma das minhas maiores dificuldades e eu precisei deixar muita coisa pela metade até “encher o saco” e começar a terminar os projetos.
Por isso decidi dividir o que faço para manter minha mente focada no que estou fazendo e o que eu faço para colocar as ideias em seus devidos lugares (não é fácil, e muitas vezes acabam escapando uma ou outra, mas isso está no sistema também).

1-      Definindo o projeto principal

Essa parte é relativamente fácil, especialmente porque os padrinhos ajudam a definir isso. Essas escolhas se tornam fáceis e esses projetos geralmente consomem trabalho da equipe toda, por alguns meses (às vezes mais de um ano). Exatamente por isso esse tipo de projeto tem de ter uma linha própria de trabalho, ainda mais quando ele exige grande quantidade de esforço e preocupação. Esse, dentro do nosso cronograma de trabalho, passa a ser chamado de “projeto grande”.

2-      Colocando ideias menores para correr em paralelo

No nosso caso, como temos uma equipe de 4 pessoas, é possível trabalhar mais de um projeto ao mesmo tempo ( às vezes temos 3 ou 4 correndo simultaneamente, por motivos de algumas serem muito rápidas). Isso acontece dentro de algum critério, como velocidade de produção e capacidade de monetização do projeto pronto. Com isso em mente, e alinhando sempre com a estratégia de marketing que estamos desenvolvemos, definimos o que é interessante.

3-      Definindo o que deve ir para a geladeira

Isso é mais pessoal meu que algo coletivo do Studio, pois o Iaggo e o Jonatas têm processos criativos totalmente diferentes. Sempre que eu acho que uma ideia é mais para um jogo grande do que para um minigame, eu a deixo de lado tempo o suficiente para que ela se desenvolva e então a anoto. Eu ás vezes deixo as ideias se misturarem de propósito, ou uso um minigame para testar uma dinâmica que eu acho que ficaria interessante em um jogo grande.

4-      Descongelando ideias

Depois que o jogo grande é entregue, chega o momento de descongelar ideias. Nós preferimos colocar as ideias em votação pelos padrinhos e então fazer o que eles pedem. Se você não tem esse recurso, descongele a ideia que te dá mais prazer ou que tem mais relação com o que você quer fazer e divirta-se no processo.

Aug
31
O que é o Padrim e porque ele é tão importante para a gente?
Se você já segue nosso blog e já conhece nosso trabalho e nossos jogos, já deve ter ouvido falar brevemente (ou mais que brevemente) sobre o nosso Padrim, mas não ter a mínima ideia do que se trata.
Exatamente por isso vamos explicar melhor o que é o Padrim, como ele funciona na nossa vida como Studio e a nossa relação com ele , além da nossa relação com nossos padrinhos e as vantagens que você tem ao se tornar nosso padrinho.

O que afinal é o Padrim?

 O Padrim é um site que permite que produtores de conteúdo coloquem seus projetos à disposição para serem ajudados, e ao mesmo tempo permite aos fãs e consumidores de conteúdo ajudarem seus produtores favoritos com quantias em dinheiro que vão gerando recompensas (ou não).
É uma das formas mais interessantes e eficientes de diversos tipos de conteúdo se manterem, como podcasts, canais de youtube, blogs… E a gente.
É interessante de falar que quando procuramos o Padrim o site estava começando, inclusive é comprazer e orgulho que dizemos que muitos outros projetos no nosso mercado vieram depois do nosso, alguns inclusive por indicação direta. Já é algo que, se tudo der amanhã, dá para dizer “pelo menos a gente fez isso”.
De forma bem simplificada, o Padrim é uma forma de nos mantermos funcionais e sem causar prejuízos demais às nossas finanças pessoais, fazendo com que a produção tenha um retorno mais direto.

Qual a importância disso para o Studio? E as vantagens para quem apóia?

Além da importância óbvia de ainda ser nossa principal fonte de renda, o Padrim ainda tem algo que é de suma importância para a gente: os padrinhos.
Nossos padrinhos são extremamente importantes na nossa vida como Studio. Eles decidem muitas coisas, eles já barraram jogos e eles decidem quais são os jogos que vão para frente e quais não vão (o Rampage é um claro exemplo disso, e quando ele terminar, eles escolherão mais um). Ahn, fazemos um sorteio por mês pros padrinhos, de brindes que vão de kits de peças da Ludeka a protótipos.
Além disso, os padrinhos são nossa primeira fila de teste. Eles recebem tudo primeiro e tem a palavra final sobre como fica jogo X ou Y, decidem quais serão as próximas metas do financiamento e ainda mais: agora eles terão a vantagem de poderem escolher qual será o jogo que irá para o print on demand depois do Seguem Alterações do Cliente.
Isso será a grande novidade que irá acontecer durante o financiamento do Seguem Alterações do Cliente: Todos que comprarem serão convidados a ficar como padrinhos até o próximo financiamento, que vai acontecer logo depois que as cópias de financiamento do Seguem Alterações forem entregues.

Quais são as facilidades de ser um padrinho do Studio Teia de Jogos ?

·         Praticidade: O login no Padrim é super simples e você pode colocar no cartão de crédito (ou no boleto se preferir).
·         Segurança: é tudo garantido e documentado, então não vamos “sumir com seu dinheiro.
·         Contato constante com os autores: apesar de sermos figuras fáceis na internet, damos uma atenção especial aos projetos dos padrinhos, ainda mais agora que estamos querendo virar editora.
·         Poder de decisão: Você decide um monte de coisas dentro do Studio, e nos ajuda com sugestões nas artes e tudo o mais. Além disso, se você tiver uma sugestão de tema para minigame, você pode mandar para a gente e terá uma resposta em breve!
Barato: à partir de 5 reais você já ajuda, o Teia Club está prevista para ter o investimento de R$10,00 mensais

Agora só falta uma coisa: você se cadastrar no Padrim e se tornar nosso padrinho ou madrinha! padrim.com.br/teiadejogos
Aug
21
Por que não fomos ao Diversão Offline e outras coisas
Resultado de imagem para diversão offline
Esse fim de semana aconteceu o Diversão Offline, que muitos apontam como um dos maiores eventos de Boardgames do calendário. Não comparecermos, não porque não quiséssemos, mas porque nos foi impossível.

Quem conhece a gente mais de perto sabe que tem uns meses que a gente não aparece em eventos. Por motivos diversos, que incluem a minha mudança para Sorocaba (o que faz com que a presença em qualquer evento em São Paulo bem mais cara para o Studio) e outros detalhes.
Além disso, estamos em plena campanha de reformulação do Studio, que vai incluir o Teia Club (nosso clube de print on demand, que será lançado em breve, com o novo financiamento do Seguem Alterações do Cliente), novos objetivos do Studio e mais um tipo de conteúdo que queremos trazer para vocês.

Sócio novo, conteúdo novo

Não sei se vocês sabem, mas o nosso novo sócio, o Iaggo, não é só um excelente ilustrador, mas ele também desenvolveu uma forma diferente de criar aventuras solo! De estilo similar as tão conhecidas aventuras solo, elas tem algo de especial. Ele disponibilizou algumas nesse link aqui.
Nossa ideia a partir de agora é fazer dessas histórias um conteúdo adicional do Studio, colocando algumas delas disponíveis de graça na internet e quem sabe financiar livros com algumas outras no mesmo estilo… Quem sabe? Isso é o que vocês podem nos dizer.

A sua vez de ter voz

Se você já vem nos seguindo nas mídias sociais ou simplesmente quer um motivo para nos apoiar no Padrim, o momento é esse! Comente aqui o que você acha que seria incrível se a gente fizesse e que com certeza te faria se tornar um padrinho nosso!

Jun
07
2 anos de Studio Teia de Jogos: o que comemorar?
No último dia 31/05 fizemos dois anos dessa viagem, dessa construção de algo que sinceramente, eu achei que estaria condenada em 6 meses, por falta de adeptos. Temos muito a comemorar, mas ainda há coisas demais a se fazer.

Nesses dois anos eu passei por praticamente todos os processos possíveis dentro desse mercado, menos o lançamento de um jogo em mídia física ( estamos tentando, vamos ver se com 3 anos a coisa melhora).
Com  esse tempo de estrada, tantas pessoas vieram e se foram, Tantos infelizmente foram sumindo, outros se tornando cada vez mais importantes dentro do nosso processo de criação e de modificação 
constante.
Mais do que uma celebração do que passou, esse aniversário foi voltado para os futuros passos do nosso Studio,  e sobre a única coisa que decidimos não fazer, independente dos resultados: desistir.

O que pensar sobre o futuro do Studio?

Existem tantas coisas que eu adoraria contar para vocês sobre os nossos planos, coisas que passam pela mente e que precisam ser colocadas efetivamente como um plano antes de serem citadas em voz alta, especialmente em público.
O que temos certeza é que vamos mudar, vamos melhorar alguns aspectos e nos tornarmos mais profissionais em diversas questões.
Durante os dois primeiros anos nós estivemos buscando nosso espaço, na verdade o tipo de espaço que queríamos ocupar. Pensamos em muitas coisas, mudamos de opinião mais vezes do que vale à pena comentar, mudamos de fornecedor, de sócios, de planos.
Nada que você, que acompanha a gente, não esteja cansado de ler aqui “ahn, lá vão eles mudar de ideia de novo”. Dessas mudanças a gente chegou em um ponto em que temos uma ideia muito mais 
clara dos nosso objetivos e das nossas vontades.
Agora o processo é o que se chama de “monetização”. Apesar de sermos eternamente gratos aos padrinhos que já temos, queremos mais padrinhos e claro, vender os jogos de forma física, de alguma forma. Achamos justo monetizar o que temos e oferecer aos autores uma possibilidade melhor de valores juntamente conosco.

Essa é a nossa ideia, definitivamente nos tornarmos um negócio, efetivamente. Obviamente precisamos de vocês, nosso público, sejam os que já estão conosco há muito tempo e os que estão chegando graças à nossa campanha e financiamento coletivo.
Jan
31
Por que parecemos não ligar para o mercado internacional?
Resultado de imagem para Toretto Brasil
Vamos ver quem saca essa referência

Quando o Studio estava ainda no seu começo, diversas vezes eu escutei de muitos amigos meus: “Jordan, coloca esses jogos em inglês e cai para o mercado internacional!” Acontece que preferimos, e até o momento ainda não nos arrependemos disso, de focar especialmente no PNP nacional como nosso principal foco.

Agora, como estamos em vias de nos tornarmos editora, não poderia ser diferente. Mantemos nossa predileção aos designers nacionais e damos ainda mais atenção aos designers ainda inéditos, já que eles teriam de gastar tempo fazendo divulgação dos seus jogos e deixando de fazer aquilo que realmente fazem bem: produzir jogos.
Vamos explicar o que queremos fazer em relação aos nossos desenvolvedores e porque queremos ser, com o tempo, um celeiro de desenvolvimento de jogos independentes e, acima de tudo, focado em oferecer qualidade e democratização dos jogos.

Vão rolar mais PNPs internacionais?

Sinceramente? Não é a nossa prioridade e muito provavelmente vão aparecer apenas ocasionalmente. Primeiramente porque isso envolve trabalho de tradução e outras questões relacionadas, que nem sempre são do nosso maior interesse no momento.
Além disso, preferimos investir nosso tempo e esforço em ajudar a desenvolver novos talentos do game design nacional forçar as barreiras do folclore do nosso mercado e criar uma base forte para quando formos conversar fora do país, tenhamos autoridade e experiência para tal.
Finalmente nós ainda temos os nossos jogos para produzir e conteúdo para abastecer este blog, então acreditamos que seja mais que o suficiente sem os PNPs internacionais.

E os autores? Como ficam nisso?

Como você pode ter percebido, falamos várias vezes dos autores que publicaram com a gente, essas pessoas têm visões diferentes de game design, formas diferentes de chegar aos seus excelentes resultados e cada uma delas será divulgada e ampliada dentro do Studio Teia de Jogos.
Os autores que publicarem com a gente terão todo o suporte para que seus jogos alcancem todo o sucesso que seja possível. Obviamente estes autores precisam ter uma visão parecida com a nossa sobre PNPs e sobre o mercado, para que o jogo seja trabalhado de forma que ele se sinta confortável.
Daremos todo o apoio necessário a eles, com diversas possibilidades de ajuda e crescimento junto com o Studio, sendo uma excelente forma de começar a sua carreira de game design ou ainda nos ajudar com mais expertise ainda.
Não perca! Em breve teremos muitas novidades em relação a novos jogos, financiamento coletivo e muito mais!

Jan
26
Estamos no processo de nos tornarmos editora: o que isso significa?


Com o crescimento do projeto e o aumento do nosso interesse em oferecer cada vez mais jogos excelentes para nossos amigos e clientes, o Studio Teia de Jogos está se preparando para se tornar, em definitivo, uma editora.

Nisso entra-se em uma discussão interessante sobre o que seria essa evolução. O que o Teia de Jogos vai começar a fazer se realmente passar a ser uma editora? O que vai mudar? Se você segue nosso trabalho há algum tempo, sabe que nossa filosofia de trabalho sempre foi e sempre será “temos um mínimo de planejamento, adaptamos o restante no meio do caminho”.
É bem assim que faremos.

E esse é o mínimo de planejamento que temos.
Qual será o papel do Studio Teia de Jogos como editora?
Mais do que simplesmente ser mais uma editora no mercado, nós queremos trazer nossa metodologia de trabalho para um patamar cada vez maior. Ao invés de deixar o PNP de lado, como algo que funcionou para nos dar alguma visibilidade que agora não serve mais, nós queremos manter e expandir nosso acervo de jogos em PNP, que serão mantidos totalmente gratuitos enquanto o site estiver no ar.
Queremos manter nosso programa de apadrinhamentos por meio do Padrim, com uma série de implementações que iremos fazer com o tempo, fazendo com que fique ainda mais interessante ser um padrinho nosso. Existem diversas situações que já foram levantadas em relação ao Padrim, mas por enquanto manteremos as coisas como estão, inclusive, aumentando a nossa campanha para doações e apadrinhamentos.
Neste processo de nos tornarmos editora, estamos buscando manter a inovação que foi o nosso começo como nossa marca registrada. Neste caso, espere ver sempre algo diferente quando ver o nosso logo, não só em relação aos nossos jogos mas também na forma de negociação dos jogos, na relação com os autores dos jogos que serão editados, ou seja, em tudo.

Este será um sinal de experimentalismo e novidades 
Obviamente, vamos manter uma postura aberta e sincera em relação a tudo que estamos fazendo, e outro objetivo nosso será sempre preferir lidar com jogos inéditos, onde possamos ter nossa opinião no jogo, porque acreditamos que isso é também papel da editora. Criar, em parceria com o autor do jogo, a melhor opção para o mercado e conseguir explorar novos mercados, com estratégias e parcerias que objetivarão mais do que simples lucro, mas a popularização e o aumento do mercado de jogos analógicos como um todo.
Se você é um autor, junte-se a nós! Traga seu projeto e vamos conversar sobre uma forma de você ser mais um dos autores aliados ao Studio Teia de Jogos. Não podemos garantir sucesso, fama e fortuna, mas seremos sempre transparentes e respeitaremos seu trabalho e seremos, acima de tudo, seus maiores fãs.
Oct
29
A Teia se modifica novamente (e o Seguem Alterações do Cliente vai atrasar)

Não vou dizer de novo “vocês devem ter percebido que estamos um tanto sumidos” porque esse começo de texto já deve estar ficando irritante para quem vem lendo tudo que a gente escreve por aqui (muito obrigado por isso).

Acontece que o nosso Studio, como sempre, vem se adaptando às crescentes mudanças que vem acontecendo conosco. De um blog despretensioso que só queria colocar PNPs de graça no ar e tentar ganhar algum dinheiro com isso passamos a algo que, sinceramente, ainda não somos capazes de definir.

Ainda estamos nos encontrar, recolocar os fios em ordem, pois existem mudanças intensas e interessantes ocorrendo… E exatamente por isso estamos sumidos.

Isso tudo, alguns diriam, é consequência do sucesso, mas eu, pessoalmente, acho que tem mais relação com um processo de expansão e crescimento, que vem envolvendo conceitos que ainda estavam incompletos, graças à nossa estrutura simplificada, criada para gerar o mínimo de prejuízo possível em caso de falha.

Acontece que o “peso” das responsabilidades já é demais para a nossa estrutura leve. Então estamos fazendo uma pequena reforma interna no Studio e acertando alguns ponteiros.

Qualquer um que já viveu em uma casa com reformas sabe os problemas que acontecem… Então, bem, é isso.

P.S.: O Seguem Alterações do Cliente vai atrasar por um motivo bem engraçado (que a gente só vai poder contar depois).

Sep
23
Por que gostamos de design minimalista?

Olá, galera! Hoje vou falar um pouquinho sobre “design minimalista”, como e porquê adotei esse estilo para a maioria dos nossos jogos. A maior parte deles ainda não mostrada publicamente, então podem rolar spoilers nesse post, haha… 😉

Antes de entrar pro Studio, eu já desenvolvia meus próprios jogos. E eu odiava criar os protótipos com papel e caneta, pois tinha certa dificuldade em abstrair o jogo e sentir a imersão que eu queria que eles transmitissem. Pra falar a verdade, meu processo criativo era (e acho que ainda é) diferente do que seria o correto…

Geralmente quando eu tenho uma ideia de jogo, eu parto pra conceitos de como ele ficaria na mesa, de como seriam as cartas… Começo a rascunhar a parte gráfica antes mesmo de pensar nas mecânicas e regras… Eu tinha consciência de que não podia perder tanto tempo com essa prática errada, então eu comecei a simplificar o design das cartas, utilizar ícones e poucas informações. E percebi que os protótipos já ficavam com mais vida fazendo isso.

Os ícones e as cores funcionavam de forma intuitiva e notei que não era preciso muita coisa além disso pra começar a testar publicamente. Tanto que o objetivo da Minimalogic era esse: simplesmente criar jogos minimalistas.

Cartas de ação do meu cardgame de luta.

Cartas de evento de um jogo de pirataria que estamos testando.

Ilustrações de um minigame de futebol de rua, também em testes.

Motivos pelos quais utilizo design minimalista

– Tempo: Utilizando meia dúzia de formas geométricas, alguns ícones e algumas linhas de texto é possível, por exemplo, fazer um modelo de carta simples, funcional e bonita ao mesmo tempo. Isso com certeza acelera o tempo de desenvolvimento do jogo.

– Imersão: Já citei isso, mas acho que é importante. Um jogo com cores e ícones padronizados e ilustrações casando com o tema do jogo causam uma imersão muito maior do que componentes brancos e texto à caneta.

– Minigames: A maioria dos jogos ainda em desenvolvimento pelo nosso Studio consiste em minigames. E fiz questão de trazer comigo os conceitos que utilizava na Minimalogic: jogos simples, tanto no visual quanto na jogabilidade.

– Prazer: E claro, eu faço porque eu gosto! Seria massante criar dezenas de ilustrações sem curtir o que estou fazendo. Por exemplo: deu um pouco de trabalho, mas foi muito legal ver o Seguem Alterações do Cliente ir tomando forma.

Outra hora a gente fala mais sobre o assunto e dá dicas de como usar esse tipo de design na prática! E pra isso a gente só precisa da ajuda de mais alguns padrinhos. Clique aqui saiba como se tornar um! A gente se vê em breve, com muitas novidades! 🙂