Free Web Hosting
Jul
01
Cartas a Vapor e Karts: porque falar dos parceiros é bom demais!
Mais um dia, abrindo caminho pelo mundo do game design! 

Uma das coisas mais importantes sobre o nosso Studio é que não queremos crescer sozinhos. Por isso mesmo hoje é dia de falar não de um, mas de dois excelentes projetos de amigos que eu tive o enorme prazer de conhecer no Lab. Jogos!

Cartas a Vapor: um processo dos mais interessantes de criação de jogos!


Aproveite para conhecê-lo!
O pessoal da Potato Cat eu acabei conhecendo por meio de uma das mesas redondas de desenvolvedores que a gente desenvolveu no Lab. Jogos. Acontece que exatamente por isso eu acabei tendo acesso à história da criação do jogo, que eu vou deixar que eles contem, quando eles acharem apropriado (dica: tem um trecho bom dela em uma das nossas gravações de mesa redonda).

Por isso eu digo, sem medo de errar, que o Cartas a Vapor é um excelente jogo. Baseado em dinâmicas simples e mecânicas que, pessoalmente, não são as minhas favoritas, ele consegue ser um jogo elegante, divertido e, mais do que qualquer coisa, muito acessível, podendo ser um gateway para muitas pessoas que não conhecem o nosso mundo de jogos ainda.

Baseado nas histórias de Enéias Tavares, o jogo divide os jogadores em times, com objetivos diferentes, tudo relacionado com as histórias, mas mesmo você que não conhece os livros (eu ainda não tive esse prazer e amei a partida!). Um dos detalhes que eu achei mais fascinante é que ele lembra, em alguns aspectos, jogos de baralho tradicionais, graças à aplicação diversificada de set collection que ele usa.

Em suma, um jogo para quem ama Steampunk, para quem gosta de jogos com um lore muito forte, mas que são mecanicamente simples, sem serem simplistas, como um relógio bem pensado, que é feto de peças teoricamente simples, mas que são capazes de fazer algo fantástico em conjunto.

Karts: taca-lhe pau nesse financiamento!

O Hendric foi um dos primeiros a jogar o Machina e, sinceramente, eu tentei me associar a ele antes de criar o Teia de Jogos (infelizmente não rolou). Além disso, esse rapaz ainda é o ilustrador do Os Campos do Caos e agora está chegando com tudo com seu projeto solo: Karts!

Sim, o Karts que está no Print and Play do Blog. Ele mesmo. Perceberam que ele permaneceu lá? O Hendric concorda que não é o PNP que vai atrapalhar um projeto de ser financiado e, por isso, manteve os arquivos aqui no nosso blog e na fanpage dele.

O jogo em si é muito interessante, já que você tem de saber usar seu combustível e seus cristais de forma a conseguir o primeiro lugar, usando todos os truques sujos que você tiver à disposição! Com diversos pilotos disponíveis, cada um com sua habilidade específica, você pode se tornar o especialista em um único ou ir experimentando.

Você pensa que acabou? É nada! Você ainda tem de lidar com os eventos, que são distribuídos a cada cristais gastos (que variam de acordo com a quantidade de corredores) e mudam todo o jogo, mesmo que por pouco tempo.

Se você quer um jogo tático, com um toque divertido de take that e uma série de variantes que precisam ser analisadas antes de decidir sua ação, você tem um excelente jogo aqui!

Podem esperar, pois semana que vem vamos ter muito mais novidades para vocês!

Jun
14
Porque Game Designers também amam

Lançamos o Machina. Fomos a vários eventos nesse ínterim. Desde nossa última postagem muita coisa aconteceu, coisas que virão em outros posts. Pois o post de hoje é uma homenagem (atrasada) às nossas esposasse namoradas, que são parte imprescindível para o nosso sucesso.

Cada um dos criadores comprometidos fez uma declaração de amor à sua esposa/namorada, comentando a relação delas com a árdua (e algumas vezes ingrata) função de desenvolvedor de jogos dentro do Studio Teia de Jogos.

Jordan e Rayane

Desde a criação do Studio, quando ele ainda era apenas um projeto, ele sempre foi motivo de algumas discussões. Engraçado comentar, mas a Rayane é a musa inspiradora do Machina, mais do que qualquer outra coisa, pois foi o fato dela não ter gostado do Empire Engines que me motivou a pensar o jogo como ele é atualmente.

Além disso, em diversos momentos do Studio, especialmente os mais incertos, ela foi uma das pessoas com quem eu mais conversei e que me deram força para continuar. Com isso, posso dizer, sem medo de ser injusto, que muito do sucesso do Studio é também devido ao apoio dela.

Te amo Mozi.

Gabriel Tardivo, Silvia e Letícia

Não existe profissão que não atrapalhe casamento, isso é fato, mas ter uma pessoa ao lado te ajudando a você a superar barreira não tem preço!

Sou desenhista há mais de 15 anos. Quando eu a minha esposa nos conhecemos, ela já sabia da minha profissão e ela caminhou os caminhos de pedras e viveu junto comigo as minhas lutas e frustrações.

Quando entrei na Tip Top foi sonho realizado, com a minha vida estabilizada construiríamos nosso futuro. Não tardou, porém, tive que procurar outros projetos para ajudar a pagar as contas. Ela estava ao meu lado me apoiando, mas junto vieram grandes frustrações, porque todo projeto parava no meio, acaba gastando um dinheiro que não tinha para poder comprar materiais de desenhos (que são muitos caros) e nada.

Quando o Jordan me chamou para me juntar ao Teia, a princípio eu não queria me envolver, apenas ajudar, até porque todos os projetos que eu participei não resultaram em nada, somente promessas. Quando eu contei para Ela que eu iria me envolver em mais um projeto, ela não gostou. Ela simplesmente pediu para eu esperar pelo trabalho da Glass, que já estava bem engatilhado.

Quando as coisas no Teia começaram a andar eu me vi numa bifurcação, escolhi entrar de cabeça no Teia e ajudar esse projeto a crescer. Aos poucos minha esposa foi ganhando confiança e vendo o projeto crescer e foi cada vez mais me apoiando.

Balancear tudo isso não é fácil, mas agradeço a Deus por ela está ao meu lado, pois ela é a minha segunda voz, me ajudando a tomar decisões importantes.

Jonatas e Bia

Desde que comecei a trabalhar com boardgames, minha esposa – a linda, graciosa e exuberante Bia – sempre esteve comigo: em casa, me aturando por horas na frente do PC ou na mesa da cozinha cortando papel… Mais horas testando joguinhos que pra ela não faziam o menor sentido. E mais horas me acompanhando nos eventos, que por sinal ficam bem longe de casa e duram o dia todo…

Notavelmente ela não tem tanta afinidade com jogos como eu, mas ela até que tenta. Acho que ganha a maioria das partidas de Coup. 🙂 Quero agradecer a ela por toda a paciência comigo e dizer que espero um dia sermos recompensados. Espero que minha participação no Studio renda muitos bons frutos. Te amo, Bia!

Só para comentar, o nosso Ilustrador Rafael Sinott está solteiro… Atenção garotas do Rio Grande do Sul!