Blog

Feb
20
As novas colunas do nosso blog
Imagem relacionada
Já fiz essa piada antes… mas não resisto. MANCHETES COM O HOMEM ARANHA

Nesse ano muitas coisas já mudaram, e muitas outras ainda vão mudar. Uma das novidades que queremos trazer para vocês é a nova distribuição de conteúdos do blog do Studio!

As maiores novidades são um espaço mais aberto para outras pessoas e visões, eventuais entrevistas que irei fazer e alguns conteúdos que eu acredito serão bem interessantes.

Sem mais delongas vamos às colunas!

 

1-Desenvolvendo um papo: essa vai ser a coluna de game design no geral. Eu vou falar das minhas experiências e das minhas preferências quanto à desenvolvimento, comentar das minhas escolhas de design e fazer diários de designer com os jogos que estarei desenvolvendo, além de chamar outros desenvolvedores para falar em entrevistas sobre o que eles consideram importante nesse aspecto.

2-Meus dois centavos: meus dois centavos é uma coluna em que eu dava a minha opinião sobre várias coisas do mercado e até paralelas à ele,faz um tempo considerável que eu não faço nenhum texto sobre isso por motivos diversos, mas agora o dois centavos vai voltar com tudo!

3- Notícias do Teia: Vamos falar do Teia e de todas as novidades que vão acontecer. Eu estou preparando uma grande renovação no padrim para acomodar as novas necessidades do Studio e seus novos objetivos, além de algumas coisas que eu ainda estou tramando.

4- Viajando no tabuleiro: Os jogos de tabuleiro abrem diversas vias de pensamento diferente, e essas vias de pensamentos passarão a ser exploradas melhor dentro dessa coluna. Eu pretendo trazer discussões que talvez mexam com os amores e ódios do hobby, mas o Teia sempre teve uma tradição de mexer em tudo que é vespeiro mesmo…

5-Teinovação: O Studio Teia de jogos foi um dos primeiros veículos/estúdios a trazer o financiamento recorrente e algumas formas de pensamento como a vantagem mercadológica e comercial do PNP.  Vamos continuar discutindo essas novidades e trazer discussões sobre inovação no mercado de jogos em geral focando nos pontos de interseccção etre o analóigico e o digital e pontos aonde a tecnologia faz com que o boardgame seja pensado , feito e /ou jogado de uma nova forma.

Gostaram? Comentem aí qual a sua coluna favorita dessa nova fase do Teia!

 

Jan
31
Parajogo: seu joguinho clássico nunca mais vai ser o mesmo

Rêmora

Você, que ainda está começando a conhecer os jogos de tabuleiro modernos, deve ter aqueles jogos clássicos aí, certo?  Sim, estou falando do banco imobiliário, do Detetive, do War, do Jogo da vida e de tantos outros jogos.

Na maioria das vezes as pessoas se apaixonam pelos jogos modernos de uma forma que esses jogos clássicos acabam perdendo a graça, e ficando eternamente às moscas. Ficou com medo? Já está acontecendo com você?

Fique tranquilo! O Studio Teia de jogos está trazendo uma novidade que pode ser o fim dos seus problemas! O Parajogo está chegando para ficar e têm tudo para fazer com que você mude a sua forma de encarar um jogo!

Hoje eu vou explicar a ideia e mostrar algumas coisas do primeiro Parajogo que está em desenvolvimento, e que os padrinhos estão se envolvendo nesse exato momento!

O que é o Parajogo e quem me deu a ideia?

A ideia me foi sugerida pelo queridíssimo Rômulo Marques, e me foi confiada porque ele acreditava que eu poderia fazê-la. Eu adorei a ideia desde o começo porque ela tinha tudo a ver com o que o Teia sempre fez (tanto que o Disco Race, nosso primeiro jogo, é basicamente um Parajogo de Uno).

A ideia do Parajogos é ser um PNP pequeno, que seja apenas um complemento para um jogo já existente, mas que o mude totalmente. Não é uma expansão ou uma modificação pequena em um sistema de regras, é basicamente reutilizar o que o jogo traz de componente para trazer uma experiência nova de jogo.

Essa é a ideia. Para o game designer, um desafio, para os jogadores, um novo jogo imprimindo muito pouca coisa, e talvez uma chance de finalmente tirar aquele jogo da prateleira.

Ou seja, todo mundo ganha!

Ilhas flutuantes, meu primeiro Parajogo

O primeiro Parajogo em desenvolvimento chama-se ilhas flutuantes e é um Parajogo para o Banco imobiliário/ monopoly.

O lore é basicamente esse:

“Em um mundo quase que totalmente coberto de água, os escassos pedaços de terra fixos são dominados por grandes mercadores, que usam o poder de sua renda para manter a hegemonia. Eles vão disputar em um leilão não tão honrado assim a posse das ilhas flutuantes, que são territórios extremamente ricos que flutuam pelo mundo.

Compre ilhas, evolua sua fortaleza e entre em combate para desestabilizar seus adversários em um jogo onde o dinheiro é tudo que importa!”

O jogo é centrado em leilões e em combates onde o dinheiro é o grande diferencial. Ele não tem nenhum lançamento de dado, mas muitas contas…

O restante somente os padrinhos sabem… ahahahahahaha.

Continue acompanhando as atualizações desse e de outros projetos por aqui ou pelas nossas mídias sociais.

 

Jan
23
Game design for fun: porque nem todo mundo quer ser profissional

 

Uma das frases que aproxima o boardgame, dito uma atividade intelectual que alguns tentam de toda a forma transformar em algo elitista, com o futebol, símbolo máximo da cultura massificada “de povão” brasileira, é o desejo que os apaixonados pela atividade tem de se aproximar mais da atividade e de fazer parte de seus criadores.

O sonho de muitos meninos é jogar profissionalmente, e praticamente todo o boteco é uma verdadeira convenção de técnicos, reclamando ou apoiando as escolhas dos técnicos oficiais do time. Com o boardgamer, o jogador profissional e o técnico encarnam-se na figura do game designer.

Agora, seguindo a mesma comparação acima, vamos falar das pessoas que jogam futebol amadoramente, e dos técnicos desses pequenos times amadores. Eles não são profissionais, mas não significa que eles não possam sentir, naqueles momentos e em uma escala menor, uma sensação parecida de ser um jogador profissional.

Por que isso não pode acontecer com os jogos de tabuleiro?

A “moda craft” e o game design

Quem faz cerveja em casa deve querer ser a nova Ambev?

Hoje em dia você compra um kit e pode fazer cerveja. Pode aprender como fazer artesanato e produzir hortaliças em casa. Existe um mercado enorme de coisas que você costumava comprar e que agora você pode fazer por você mesmo, e ter um resultado interessante.

Com os boardgames modernos o mais próximo que existiu disso para o consumidor comum é o jogo 504, que permite que você faça diversas combinações de sets de regras e consiga, por meio dessas mudanças, diversos jogos diferentes. Ainda assim pode ser mais considerada uma personalização e não uma ferramenta de criação.

É importante fazer uma menção ao Kit Maker Êba, da querida Lisandra Rodriguez, que traz algo extremamente parecido com a questão de um kit para criação de jogos, embora a intenção dela seja uma criação um pouco mais solta do que a de simplesmente criar jogos de tabuleiro (pelo que eu vi, as crianças podem criar diversos tipos de brinquedos e brincadeiras, que não são sempre e necessariamente um jogo).

Eu acredito que o game design como hobby e atividade prazerosa e educativa deve ser divulgado e demonstrado em diversas situações. O projeto Fora da Caixa, do já conhecido Professor Lúdico Boscolo, é outro excelente exemplo de como essa atividade deveria ser tratada de forma diferente, e mais divulgada.

Quem acompanha as postagens vê que os alunos dele vêm trabalhando com referenciais e desenvolvendo ideias interessantes baseadas no repertório de jogos que ele leva a essas crianças, que não tinham esse acesso antes e que dificilmente o teriam, pelo valor médio do jogo de tabuleiro moderno no Brasil.

E se eu quiser me profissionalizar?

Quando você decide que vai começar a desenvolver um jogo de tabuleiro, você acaba procurando pessoas que estão fazendo a mesma coisa. Uma das maiores vantagens da comunidade de desenvolvedores é muito mais aberta do que jamais foi (olha, nesses 3 anos de caminhada eu vi gente negando documentação de playtest, então…)

O problema é que uma pessoa faz o caminho de começar a desenvolver porque acha jogos legais e é submetido a uma série de preceitos e até de alguns folclores que fazem parte da vida de um designer profissional.

Parece um acordo tácito que uma pessoa não pode desenvolver sem a pretensão de comercializar. Parece que desenvolver somente por ser divertido é algo fora da realidade, porque dá muito trabalho fazer um boardgame.

Dá muito trabalho fazer cerveja também, e nem todo mundo que compra o maquino para fazer cerveja ou que monta um time com o pessoal da firma para uma das Copas Kaiser da vida está interessado na parte desagradável de ser profissional.

Então um dos principais objetivos dessa conversa toda é deixar a provocação para quem está começando a desenvolver um jogo ou mesmo quem já desenvolve há um tempo: Você quer mesmo profissionalizar essa paixão? Porque se a resposta for sim, fique ciente que você só vai conseguir isso se for muito além do que é prazeroso ou confortável.

E tá tudo bem ser uma pessoa que desenvolve por prazer.

Jan
16
Avisos sobre as novas direções do Studio Teia de Jogos para 2018

As pessoas geralmente tem listas de coisas que querem fazer para o ano novo. Eu decidi fazer um a lista de coisas que vão mudar no Studio.

Vocês devem saber que agora o Studio Teia de Jogos é um Studio de um homem só, e não pretendo trazer novos sócios da forma anterior, pelo menos não por enquanto. Ao invés disso, estou contando com diversos parceiros, que vão sendo revelados com o passar do ano, para embelezas e ilustrar os jogos do Studio.

Outras mudanças serão:

  • Mudança de posicionamento: Não quero mais ser editora. Decidi que fico melhor fazendo jogos e ajudando pessoas com seus jogos, mas toda a parte de logística, mercado, qualidade de componentes, não me interessa e me estressa. Prefiro fazer meus jogos e entregá-los nas mãos de editores.
  • Oficina de desenvolvedores: vou desenvolver uma oficina de desenvolvedores de jogos, focando no fazer jogos no geral, e mostrando a minha visão do que é o game design e como ele deve ser desenvolvido para ser um prazer e possivelmente uma forma adicional de renda.
  • Mudanças no Padrim: A Campanha do Padrim será mudada em breve. Os padrinhos atuais serão os primeiros a serem avisados, mas prometo um crescimento mais eficiente e novidades para os mais diversos públicos
  • Mais colaboração: Eu pretendo abrir mais espaço para participação no site do Studio. Vocês devem ter percebido que os meus jogos foram separados dos outros PNPs, certo? Isso significa que agora às pessoas (com devidas autorizações do Autor) ou os próprios autores podem mandar PNPs para serem colocados nos arquivos do nosso site! Além disso, teremos conteúdos de outros autores no blog, trazendo visões diferentes do nosso mercado!
  • Flexibilidade e dinamismo: Isso sempre foram marcas nossas, mas agora vão ser a nossa principal característica. Estou estudando parcerias com editoras e buscando novas formas de atuar dentro do mercado, então Se você editora, loja ou pessoa interessa em investir em boardgames está buscando um Studio de desenvolvimento que tenha expertise e bons relacionamentos, basta nos procurar!

Com todas essas mudanças em mente, espero que você goste do que vai acontecer a partir de agora. Qualquer coisa, você sabe onde me procurar!

Nov
08
5 dicas para comprar meu primeiro boardgame

Resultado de imagem para pessoa em dúvida

Chegam essas épocas de Black Friday, décimo terceiro e fim de ano, todo mundo fica em polvorosa para comprar boardgames. Você, novato ainda nesse hobby maravilhoso, decidiu que vai aproveitar também, certo?

Que tal decidir de forma estratégica e inteligente qual será seu primeiro boardgame moderno? Se você já comprou um ou outro e quer continuar expandindo a sua coleção, essas dicas são outra excelente forma de ter uma noção melhor do que você vai comprar.
Lembrando sempre que essas dicas são baseadas na minha experiência de compra, venda e troca de boardgames, e podem não representar todos os perfis de compradores. Se você tiver algo a acrescentar, manda nos comentários que é muito importante!

1-      Crie uma lista de interesses e desejos

Assim que eu entrei no hobby eu me sentia maravilhado e frustrado ao mesmo tempo.  Eu tinha milhões de opções de jogos, mas tinha pouco dinheiro para comprar tudo. Como na minha situação financeira não dava para comprar no escuro. Eu fazia um monte de pesquisa e ficava maturando a vontade de ter determinados jogos.
Algumas vezes essa vontade passa outras vezes ela só ficava mais forte. Riscando nomes da lista de interesse e passando nomes de jogos da lista de interesse para a lista de desejos, quando você tiver uma chance de comprar um jogo, você nem vai sentir essa dúvida.

2-      Aprenda a reconhecer um “jogo, mas não compro”

Existem vários jogos que você vai conhecer na vida que são uma delícia de jogar. Jogos maravilhosos, só que só funcionam em mesas específicas, e você não têm acesso frequente a esse tipo de mesa.
Esses são, na maioria das vezes, jogos que podem não valer tão a pena assim comprar. Nesses casos, dê preferência para jogos que você sabe que vai ter mesa para jogar. Agora, se você achou esse jogo em uma excelente promoção ou ainda se a vontade de jogá-lo é realmente grande, compre-o e tente procurar uma mesa para ele.
Outra forma de reconhecer um jogo assim um jogo que é bom, mas que você não faz questão de ter, o que um amigo seu tenha e ame e leve toda a vez que tem jogatina. Ele entra na mesma categoria.

3-      Pesquise possibilidades de novos e usados

Algumas vezes você vai encontrar em sites como a Ludopedia e grupos no Facebook onde você vai achar jogos usados, em excelentes condições, por um valor bem menor Pode ser melhor do que aproveitar a Black Friday! Consulte sempre e se mantenha informado.

4-      Fortaleça as lojas aonde você joga

Se você costuma jogar em determinada loja e ela oferece o espaço gratuitamente, nada melhor do que recompensar a loja com a sua preferência. Dessa forma, ela vai manter o espaço gratuito e você ajuda essa empresa a manter-se no mercado.

5-      Pense no frete como parte do preço do jogo

Se você vai ter de pagar um frete para conseguir seu desconto na Black Friday ou mesmo fora dela, isso precisa ser colocado no preço do jogo. Não se engane, alguns descontos na prática são “recuperados” no frete. Fique de olho!
Curtiu as dicas? Aproveite que você já está por aqui e conheça nosso acervo de PNPs gratuitos e fique de olho nas novidades da nossa página no facebook!

Oct
19
Nosso fim de ano: o que (não) vai rolar?
Não sei como foi 2017 para vocês, mas para mim está sendo um ano de uma série de mudanças. Intensas, insanas.

Então quando as lojas começam a pendurar os enfeites de halloween e algumas coisas começaram a entrar um pouco mais nos trilhos, seria o momento de entrar em mais uma loucura: o financiamento coletivo do Seguem Alterações do cliente, em parceria com o começo do Teia Club.
Pensamos, conversamos com as pessoas mais próximas no nosso boteco, e pensamos que era melhor não. Eu até estava animado, mas percebi que as coisas seriam mais contra do que ao nosso favor.
Então decidimos por uma saída estratégica. Adiaremos esse financiamento para o ano que vem e vamos aproveitar o fim do ano para organizar algumas coisas. Algumas vocês vão ver a diferença, algumas talvez demorem mais para perceber.

Mais conteúdo no blog, e com um enfoque diferente

Talvez nem todo mundo saiba, mas outra atividade que eu desenvolvo é a de redator freelancer para blog em geral, e como as coisas andaram mudando um pouco neste mercado, achei que era o momento mais que adequado para começar a mudar junto.
Fiz alguns cursos, aprendi algumas técnicas e, acima de tudo, desenvolvi um senso maior da necessidade de planejamento o conteúdo a ser entregue nesse blog, além, é claro, será mais perceptível a mudança de posicionamento que daremos ao Studio e aos jogos que iremos publicar, tanto no PNP quanto para o prosseguimento do Teia Club (fiquem tranqüilos, muita coisa sobre o Teia Club será publicada antes do financiamento, para que as pessoas possam se acostumar com a ideia).
Estamos pensando em uma mudança de layout no blog também… mas quem sabe para quando?

E o calendário de Jogos?

Quem acompanha mais o nosso trabalho deve saber que tentamos fazer um calendário de lançamentos neste ano. Ainda estamos avaliando o quanto ele foi positivo, mas isso é algo que será analisado com mais calma e com certeza o papel dos canais será reavaliado dentro da nossa estratégia como empresa Apenas mais um jogo será lançado no PNP esse ano, e depois disso apénas ano que vem.
Queremos nos tornar, antes de tudo uma editora para gateways e para jogos que serão sempre amigáveis para iniciantes. Ou seja, quando o jogo não for um gateway, ele vai ter uma variação de regras para torná-lo um gateway e quando ele for um gateway, ele vai ter um modo mais avançado.  Assim você ao comprar um jogo do Studio Teia de Jogos estará comprando mais de uma experiência, e as eventuais expansões serão muito mais “twists” e variações dentro do mesmo tema do que simples acréscimos de cartas ou um jogador adicional.
Isso vai fazer com que os nossos designs sejam mais desafiadores, e iremos cobrar isso de todo e qualquer autor que for lançar seus jogos conosco (obviamente teremos o prazer de ajudá-los nessa adaptação).

Gostou das novidades? Venha conversar com a gente sobre as suas impressões dessa mudança que anda acontecendo!
Oct
03
5 dicas para fazer um Studio no mesmo estilo do Teia de Jogos

O Studio teia de Jogos Nasceu da minha vontade de fazer jogos de graça e ganhar com isso. Foi inicialmente uma experiência para verificar a plausividade de uma série de teorias que a minha cabeça fez em relação ao livro da Amanda Palmer, A arte de pedir (recomendo a leitura para todos os que fazem arte).

Com isso, e uma filosofia que manteve a gente ativo quando muitos teriam desistido, a gente continua por aí, e como estamos querendo virar editora, e percebemos que muitas pessoas gostariam de ter algo parecido com o nosso Studio, montei as 5 dicas que fizeram com que o Studio fosse adiante e conseguisse ser o que é hoje.

nosso primeiro logo ( muita gente achava que a gente era um Studio de Tatuagem)

1-      Tenha uma missão clara antes de começar, mas comece despretensioso

Antes de fundar o Studio, pense no que realmente você quer fazer. O que no mercado de jogos atual te incomoda e não tem ninguém fazendo nada a esse respeito? Pensa nisso e foca em um objetivo. No nosso caso o objetivo era “fazer dos PNPs algo sustentável para uma empresa”. A gente ainda ta nesse processo, mas já fizemos parcerias com empresas como Mandala, Redbox e Ace Studios, que liberaram PNPs completos de seus jogos!

Resultado de imagem para Super Sam
Arte: Maurício Melo: Devian Art do Autor https://mauricio-melo.deviantart.com/art/Super-Sam-El-Chapulin-Colorado-616009650

2-      Monte uma estrutura que consegue resolver tudo “inhouse”, preferencialmente sem investimento financeiro.

Eu sempre procurei, quando estava chamando os sócios para o Studio, conciliar pessoas com vários talentos e com disposição para arriscar um pouco de tempo. Eu investi um monte de tempo, que eu podia estar com a minha família ou amigos, me divertindo ou trabalhando em algo que me rendesse retorno financeiro imediato, mas preferi investir esse meu tempo em uma ideia de colocar jogos disponíveis para todo mundo. Preferi procurar pessoas dispostas a dividir o risco comigo e a me aturarem (eu sou chato, exigente e tals)

Poster de uma antiga campanha nossa

3-      As pessoas precisam te conhecer: facilite isso

O PNP é uma excelente forma de ter um portfólio online fácil e eficiente para mostrar para as pessoas o que eu sou capaz de fazer como designer, fora que me ajudou a agilizar meus processos como designer. Jogo bom é jogo pronto, e jogo pronto tem de começar a render para o autor, seja grana, seja em divulgação. Existem várias formas de fazer isso, descubra uma e mande bala.

4-      Foque na comunidade que vai se formar ao seu redor

Enquanto você está crescendo, identifique as pessoas que vão conseguir te ajudar a crescer e vá oferecendo pequenos agrados a elas. É o que fizemos com o Padrim, mas você pode usar essa ou outras formas. Fique totalmente à vontade e aprenda com seus erros.

5-      Nada está escrito em pedra

Não tenha medo de ousar (especialmente se você conseguiu o modelo sem investimento financeiro) e não tenha medo de errar. Erramos muito com o Teia, e vira e mexe um erro desses vem cobrar sua taxa. Mas aprendemos com isso, e nos tornamos mais adaptáveis às demandas de um mercado que cresce e que está em constante mudança.

Curtiu as dicas? Comente conosco o que você acha e as suas experiências!

Sep
14
4 dicas para os novatos no board game
Olá boardgamer experimentado, conhecedor e “manjador” das mecânicas e tudo o mais. Olá e adeus. Esse post não é para você. Faça algo pelo nosso hobby e mande esse texto para os novatos que você conhece ou para as pessoas que você acha que podem começar a gostar de board game, juntamente com um convite para uma jogatinas.

Agora sim… Olá pessoa que ainda não conhece o mundo dos board games tão bem. Meu nome é Jordan e eu sou um dos desenvolvedores de um Studio de Jogos que está se encaminhando para se tornar uma editora, uma editora especializada em jogos para apresentar o hobby. Simples mas desafiadores, com a possibilidade de serem testados de graça por meio de uma técnica chamada PNP…
Espera… Você não deve estar entendendo muitas coisas, não é? Perdoe-me, mas você vai perceber que a paixão pelo board game mexe com as pessoas, inclusive fazendo com que algumas delas fiquem um poucos mais “chatas” com quem está começando… Mas fica tranqüilo, a maioria é bem legal (e você sempre tem a chance de escolher com quem jogar).
Bem, vamos começar pelo mais importante. Essas são as primeiras 4 dicas que dou para quem está conhecendo os board games modernos

1-      EXISTEM MUITO MAIS JOGOS DE TABULEIRO DO QUE OS TRADICIONAIS.

Se você só jogou Banco imobiliário, war, imagem e ação e similares na sua vida, eu tenho uma excelente notícia para você: existem MUITO MAIS JOGOS por aí para você conhecer!
Sério… É muita coisa. É tanta coisa e são umas experiências tão diferentes que os criadores e estudiosos do assunto começaram a criar um monte de nomes que você vai começar a aprender com o tempo. Fique tranquilo, porém, você não precisa conhecer tudo para sentar numa mesa e jogar, só de amigos e do jogo em si.

2-      JOGOS DE TABULEIRO SÃO MUITO DIVERTIDOS!

 Mesmo que você ache coisas como RPG “chatas e complicadas”, se você quer tirar seus filhos um pouco da frente do tablet e do celular, se você quer um motivo para reunir os amigos e tomar uma cerveja… os jogos de tabuleiro são uma excelente opção!
Como você viu no item 1, existem diversos jogos, com estilos diferentes, para momentos diferentes e turmas diferentes. Jogos mais tranqüilos e que vão fazer sua avó deixar a canastra de lado, jogos mais agitados e simples para fazer seus filhos, irmãos ou primos colocarem a destreza em prova, jogos para quem ama RPG e jogos para quem quer “quebrar a cabeça” com decisões difíceis e punições severas para a escolha errada.
Basta saber o que você quer exatamente e o tipo de jogo que vai atender essa necessidade.

3-      TÁ, GOSTEI… COMO COMEÇO?

Um jogo que costuma ser o primeiro de muitas pessoas é o Zombicide.
Sendo sincero, a melhor opção é começar jogando os jogos dos outros. Seja em eventos, ludolocadoras (lugares onde você paga uma taxa para jogar jogos de tabuleiro) ou mesmo em grupos de jogos, antes de sair comprando jogos que você só viu em vídeos ou gostou do tema é melhor você experimentar a sensação dele na mesa. Mais importante que isso, saber se você vai ter com quem jogar com mais freqüência. Compre jogos não só pelo que você gosta, mas que também sejam jogados pelas pessoas que você tem perto e fácil para jogar. Os outros que você adora, mas não tem uma mesa consistente para jogar sempre, você jogará em eventos e encontros, ou as cópias dos amigos que já estão no hobby.

4-      O QUE É AQUELE TAL DE PNP QUE VOCÊ FALOU LÁ EM CIMA?

Os Campos do Caos , um dos nossos PNPs
PNP (print and play ou imprima e Jogue) é uma modalidade de lançamento de jogos em que ao invés de vender o jogo físico, se vende ou disponibiliza gratuitamente os jogos por meio de arquivos digitais, que você pode imprimir, recortar e jogar. Obviamente eles não têm todo o acabamento de um jogo que você compra, mas são excelentes para você começar ou quando estiver sem grana para um jogo, mas com vontade de experimentar algo novo.
Somos especialistas nesse tipo de publicação, com vários jogos nossos e de amigos disponíveis para você, inclusive jogos que você vai encontrar também nas lojas para vender, como o Space Cantina, Labirinx e Pocket Imperium!

Se você gostou dessa lista e quer mais, deixe-nos saber! Nós, do Studio teia de Jogos, temos enorme prazer de facilitarmos o acesso aos board games modernos para todos!
Sep
05
Meus dois centavos: como lidar com as ideias para jogos?
Esses dias teve uma discussão super interessante sobre o que as pessoas fazem para se manter focados no projeto de jogo que estamos no grupo de desenvolvedores. Isso mexeu comigo, porque finalizar projetos sempre foi uma das minhas maiores dificuldades e eu precisei deixar muita coisa pela metade até “encher o saco” e começar a terminar os projetos.
Por isso decidi dividir o que faço para manter minha mente focada no que estou fazendo e o que eu faço para colocar as ideias em seus devidos lugares (não é fácil, e muitas vezes acabam escapando uma ou outra, mas isso está no sistema também).

1-      Definindo o projeto principal

Essa parte é relativamente fácil, especialmente porque os padrinhos ajudam a definir isso. Essas escolhas se tornam fáceis e esses projetos geralmente consomem trabalho da equipe toda, por alguns meses (às vezes mais de um ano). Exatamente por isso esse tipo de projeto tem de ter uma linha própria de trabalho, ainda mais quando ele exige grande quantidade de esforço e preocupação. Esse, dentro do nosso cronograma de trabalho, passa a ser chamado de “projeto grande”.

2-      Colocando ideias menores para correr em paralelo

No nosso caso, como temos uma equipe de 4 pessoas, é possível trabalhar mais de um projeto ao mesmo tempo ( às vezes temos 3 ou 4 correndo simultaneamente, por motivos de algumas serem muito rápidas). Isso acontece dentro de algum critério, como velocidade de produção e capacidade de monetização do projeto pronto. Com isso em mente, e alinhando sempre com a estratégia de marketing que estamos desenvolvemos, definimos o que é interessante.

3-      Definindo o que deve ir para a geladeira

Isso é mais pessoal meu que algo coletivo do Studio, pois o Iaggo e o Jonatas têm processos criativos totalmente diferentes. Sempre que eu acho que uma ideia é mais para um jogo grande do que para um minigame, eu a deixo de lado tempo o suficiente para que ela se desenvolva e então a anoto. Eu ás vezes deixo as ideias se misturarem de propósito, ou uso um minigame para testar uma dinâmica que eu acho que ficaria interessante em um jogo grande.

4-      Descongelando ideias

Depois que o jogo grande é entregue, chega o momento de descongelar ideias. Nós preferimos colocar as ideias em votação pelos padrinhos e então fazer o que eles pedem. Se você não tem esse recurso, descongele a ideia que te dá mais prazer ou que tem mais relação com o que você quer fazer e divirta-se no processo.

Aug
31
O que é o Padrim e porque ele é tão importante para a gente?
Se você já segue nosso blog e já conhece nosso trabalho e nossos jogos, já deve ter ouvido falar brevemente (ou mais que brevemente) sobre o nosso Padrim, mas não ter a mínima ideia do que se trata.
Exatamente por isso vamos explicar melhor o que é o Padrim, como ele funciona na nossa vida como Studio e a nossa relação com ele , além da nossa relação com nossos padrinhos e as vantagens que você tem ao se tornar nosso padrinho.

O que afinal é o Padrim?

 O Padrim é um site que permite que produtores de conteúdo coloquem seus projetos à disposição para serem ajudados, e ao mesmo tempo permite aos fãs e consumidores de conteúdo ajudarem seus produtores favoritos com quantias em dinheiro que vão gerando recompensas (ou não).
É uma das formas mais interessantes e eficientes de diversos tipos de conteúdo se manterem, como podcasts, canais de youtube, blogs… E a gente.
É interessante de falar que quando procuramos o Padrim o site estava começando, inclusive é comprazer e orgulho que dizemos que muitos outros projetos no nosso mercado vieram depois do nosso, alguns inclusive por indicação direta. Já é algo que, se tudo der amanhã, dá para dizer “pelo menos a gente fez isso”.
De forma bem simplificada, o Padrim é uma forma de nos mantermos funcionais e sem causar prejuízos demais às nossas finanças pessoais, fazendo com que a produção tenha um retorno mais direto.

Qual a importância disso para o Studio? E as vantagens para quem apóia?

Além da importância óbvia de ainda ser nossa principal fonte de renda, o Padrim ainda tem algo que é de suma importância para a gente: os padrinhos.
Nossos padrinhos são extremamente importantes na nossa vida como Studio. Eles decidem muitas coisas, eles já barraram jogos e eles decidem quais são os jogos que vão para frente e quais não vão (o Rampage é um claro exemplo disso, e quando ele terminar, eles escolherão mais um). Ahn, fazemos um sorteio por mês pros padrinhos, de brindes que vão de kits de peças da Ludeka a protótipos.
Além disso, os padrinhos são nossa primeira fila de teste. Eles recebem tudo primeiro e tem a palavra final sobre como fica jogo X ou Y, decidem quais serão as próximas metas do financiamento e ainda mais: agora eles terão a vantagem de poderem escolher qual será o jogo que irá para o print on demand depois do Seguem Alterações do Cliente.
Isso será a grande novidade que irá acontecer durante o financiamento do Seguem Alterações do Cliente: Todos que comprarem serão convidados a ficar como padrinhos até o próximo financiamento, que vai acontecer logo depois que as cópias de financiamento do Seguem Alterações forem entregues.

Quais são as facilidades de ser um padrinho do Studio Teia de Jogos ?

·         Praticidade: O login no Padrim é super simples e você pode colocar no cartão de crédito (ou no boleto se preferir).
·         Segurança: é tudo garantido e documentado, então não vamos “sumir com seu dinheiro.
·         Contato constante com os autores: apesar de sermos figuras fáceis na internet, damos uma atenção especial aos projetos dos padrinhos, ainda mais agora que estamos querendo virar editora.
·         Poder de decisão: Você decide um monte de coisas dentro do Studio, e nos ajuda com sugestões nas artes e tudo o mais. Além disso, se você tiver uma sugestão de tema para minigame, você pode mandar para a gente e terá uma resposta em breve!
Barato: à partir de 5 reais você já ajuda, o Teia Club está prevista para ter o investimento de R$10,00 mensais

Agora só falta uma coisa: você se cadastrar no Padrim e se tornar nosso padrinho ou madrinha! padrim.com.br/teiadejogos
Free Web Hosting