Nov
08
5 dicas para comprar meu primeiro boardgame

Resultado de imagem para pessoa em dúvida

Chegam essas épocas de Black Friday, décimo terceiro e fim de ano, todo mundo fica em polvorosa para comprar boardgames. Você, novato ainda nesse hobby maravilhoso, decidiu que vai aproveitar também, certo?

Que tal decidir de forma estratégica e inteligente qual será seu primeiro boardgame moderno? Se você já comprou um ou outro e quer continuar expandindo a sua coleção, essas dicas são outra excelente forma de ter uma noção melhor do que você vai comprar.
Lembrando sempre que essas dicas são baseadas na minha experiência de compra, venda e troca de boardgames, e podem não representar todos os perfis de compradores. Se você tiver algo a acrescentar, manda nos comentários que é muito importante!

1-      Crie uma lista de interesses e desejos

Assim que eu entrei no hobby eu me sentia maravilhado e frustrado ao mesmo tempo.  Eu tinha milhões de opções de jogos, mas tinha pouco dinheiro para comprar tudo. Como na minha situação financeira não dava para comprar no escuro. Eu fazia um monte de pesquisa e ficava maturando a vontade de ter determinados jogos.
Algumas vezes essa vontade passa outras vezes ela só ficava mais forte. Riscando nomes da lista de interesse e passando nomes de jogos da lista de interesse para a lista de desejos, quando você tiver uma chance de comprar um jogo, você nem vai sentir essa dúvida.

2-      Aprenda a reconhecer um “jogo, mas não compro”

Existem vários jogos que você vai conhecer na vida que são uma delícia de jogar. Jogos maravilhosos, só que só funcionam em mesas específicas, e você não têm acesso frequente a esse tipo de mesa.
Esses são, na maioria das vezes, jogos que podem não valer tão a pena assim comprar. Nesses casos, dê preferência para jogos que você sabe que vai ter mesa para jogar. Agora, se você achou esse jogo em uma excelente promoção ou ainda se a vontade de jogá-lo é realmente grande, compre-o e tente procurar uma mesa para ele.
Outra forma de reconhecer um jogo assim um jogo que é bom, mas que você não faz questão de ter, o que um amigo seu tenha e ame e leve toda a vez que tem jogatina. Ele entra na mesma categoria.

3-      Pesquise possibilidades de novos e usados

Algumas vezes você vai encontrar em sites como a Ludopedia e grupos no Facebook onde você vai achar jogos usados, em excelentes condições, por um valor bem menor Pode ser melhor do que aproveitar a Black Friday! Consulte sempre e se mantenha informado.

4-      Fortaleça as lojas aonde você joga

Se você costuma jogar em determinada loja e ela oferece o espaço gratuitamente, nada melhor do que recompensar a loja com a sua preferência. Dessa forma, ela vai manter o espaço gratuito e você ajuda essa empresa a manter-se no mercado.

5-      Pense no frete como parte do preço do jogo

Se você vai ter de pagar um frete para conseguir seu desconto na Black Friday ou mesmo fora dela, isso precisa ser colocado no preço do jogo. Não se engane, alguns descontos na prática são “recuperados” no frete. Fique de olho!
Curtiu as dicas? Aproveite que você já está por aqui e conheça nosso acervo de PNPs gratuitos e fique de olho nas novidades da nossa página no facebook!

Oct
19
Nosso fim de ano: o que (não) vai rolar?
Não sei como foi 2017 para vocês, mas para mim está sendo um ano de uma série de mudanças. Intensas, insanas.

Então quando as lojas começam a pendurar os enfeites de halloween e algumas coisas começaram a entrar um pouco mais nos trilhos, seria o momento de entrar em mais uma loucura: o financiamento coletivo do Seguem Alterações do cliente, em parceria com o começo do Teia Club.
Pensamos, conversamos com as pessoas mais próximas no nosso boteco, e pensamos que era melhor não. Eu até estava animado, mas percebi que as coisas seriam mais contra do que ao nosso favor.
Então decidimos por uma saída estratégica. Adiaremos esse financiamento para o ano que vem e vamos aproveitar o fim do ano para organizar algumas coisas. Algumas vocês vão ver a diferença, algumas talvez demorem mais para perceber.

Mais conteúdo no blog, e com um enfoque diferente

Talvez nem todo mundo saiba, mas outra atividade que eu desenvolvo é a de redator freelancer para blog em geral, e como as coisas andaram mudando um pouco neste mercado, achei que era o momento mais que adequado para começar a mudar junto.
Fiz alguns cursos, aprendi algumas técnicas e, acima de tudo, desenvolvi um senso maior da necessidade de planejamento o conteúdo a ser entregue nesse blog, além, é claro, será mais perceptível a mudança de posicionamento que daremos ao Studio e aos jogos que iremos publicar, tanto no PNP quanto para o prosseguimento do Teia Club (fiquem tranqüilos, muita coisa sobre o Teia Club será publicada antes do financiamento, para que as pessoas possam se acostumar com a ideia).
Estamos pensando em uma mudança de layout no blog também… mas quem sabe para quando?

E o calendário de Jogos?

Quem acompanha mais o nosso trabalho deve saber que tentamos fazer um calendário de lançamentos neste ano. Ainda estamos avaliando o quanto ele foi positivo, mas isso é algo que será analisado com mais calma e com certeza o papel dos canais será reavaliado dentro da nossa estratégia como empresa Apenas mais um jogo será lançado no PNP esse ano, e depois disso apénas ano que vem.
Queremos nos tornar, antes de tudo uma editora para gateways e para jogos que serão sempre amigáveis para iniciantes. Ou seja, quando o jogo não for um gateway, ele vai ter uma variação de regras para torná-lo um gateway e quando ele for um gateway, ele vai ter um modo mais avançado.  Assim você ao comprar um jogo do Studio Teia de Jogos estará comprando mais de uma experiência, e as eventuais expansões serão muito mais “twists” e variações dentro do mesmo tema do que simples acréscimos de cartas ou um jogador adicional.
Isso vai fazer com que os nossos designs sejam mais desafiadores, e iremos cobrar isso de todo e qualquer autor que for lançar seus jogos conosco (obviamente teremos o prazer de ajudá-los nessa adaptação).

Gostou das novidades? Venha conversar com a gente sobre as suas impressões dessa mudança que anda acontecendo!
Oct
03
5 dicas para fazer um Studio no mesmo estilo do Teia de Jogos

O Studio teia de Jogos Nasceu da minha vontade de fazer jogos de graça e ganhar com isso. Foi inicialmente uma experiência para verificar a plausividade de uma série de teorias que a minha cabeça fez em relação ao livro da Amanda Palmer, A arte de pedir (recomendo a leitura para todos os que fazem arte).

Com isso, e uma filosofia que manteve a gente ativo quando muitos teriam desistido, a gente continua por aí, e como estamos querendo virar editora, e percebemos que muitas pessoas gostariam de ter algo parecido com o nosso Studio, montei as 5 dicas que fizeram com que o Studio fosse adiante e conseguisse ser o que é hoje.

nosso primeiro logo ( muita gente achava que a gente era um Studio de Tatuagem)

1-      Tenha uma missão clara antes de começar, mas comece despretensioso

Antes de fundar o Studio, pense no que realmente você quer fazer. O que no mercado de jogos atual te incomoda e não tem ninguém fazendo nada a esse respeito? Pensa nisso e foca em um objetivo. No nosso caso o objetivo era “fazer dos PNPs algo sustentável para uma empresa”. A gente ainda ta nesse processo, mas já fizemos parcerias com empresas como Mandala, Redbox e Ace Studios, que liberaram PNPs completos de seus jogos!

Resultado de imagem para Super Sam
Arte: Maurício Melo: Devian Art do Autor https://mauricio-melo.deviantart.com/art/Super-Sam-El-Chapulin-Colorado-616009650

2-      Monte uma estrutura que consegue resolver tudo “inhouse”, preferencialmente sem investimento financeiro.

Eu sempre procurei, quando estava chamando os sócios para o Studio, conciliar pessoas com vários talentos e com disposição para arriscar um pouco de tempo. Eu investi um monte de tempo, que eu podia estar com a minha família ou amigos, me divertindo ou trabalhando em algo que me rendesse retorno financeiro imediato, mas preferi investir esse meu tempo em uma ideia de colocar jogos disponíveis para todo mundo. Preferi procurar pessoas dispostas a dividir o risco comigo e a me aturarem (eu sou chato, exigente e tals)

Poster de uma antiga campanha nossa

3-      As pessoas precisam te conhecer: facilite isso

O PNP é uma excelente forma de ter um portfólio online fácil e eficiente para mostrar para as pessoas o que eu sou capaz de fazer como designer, fora que me ajudou a agilizar meus processos como designer. Jogo bom é jogo pronto, e jogo pronto tem de começar a render para o autor, seja grana, seja em divulgação. Existem várias formas de fazer isso, descubra uma e mande bala.

4-      Foque na comunidade que vai se formar ao seu redor

Enquanto você está crescendo, identifique as pessoas que vão conseguir te ajudar a crescer e vá oferecendo pequenos agrados a elas. É o que fizemos com o Padrim, mas você pode usar essa ou outras formas. Fique totalmente à vontade e aprenda com seus erros.

5-      Nada está escrito em pedra

Não tenha medo de ousar (especialmente se você conseguiu o modelo sem investimento financeiro) e não tenha medo de errar. Erramos muito com o Teia, e vira e mexe um erro desses vem cobrar sua taxa. Mas aprendemos com isso, e nos tornamos mais adaptáveis às demandas de um mercado que cresce e que está em constante mudança.

Curtiu as dicas? Comente conosco o que você acha e as suas experiências!

Sep
14
4 dicas para os novatos no board game
Olá boardgamer experimentado, conhecedor e “manjador” das mecânicas e tudo o mais. Olá e adeus. Esse post não é para você. Faça algo pelo nosso hobby e mande esse texto para os novatos que você conhece ou para as pessoas que você acha que podem começar a gostar de board game, juntamente com um convite para uma jogatinas.

Agora sim… Olá pessoa que ainda não conhece o mundo dos board games tão bem. Meu nome é Jordan e eu sou um dos desenvolvedores de um Studio de Jogos que está se encaminhando para se tornar uma editora, uma editora especializada em jogos para apresentar o hobby. Simples mas desafiadores, com a possibilidade de serem testados de graça por meio de uma técnica chamada PNP…
Espera… Você não deve estar entendendo muitas coisas, não é? Perdoe-me, mas você vai perceber que a paixão pelo board game mexe com as pessoas, inclusive fazendo com que algumas delas fiquem um poucos mais “chatas” com quem está começando… Mas fica tranqüilo, a maioria é bem legal (e você sempre tem a chance de escolher com quem jogar).
Bem, vamos começar pelo mais importante. Essas são as primeiras 4 dicas que dou para quem está conhecendo os board games modernos

1-      EXISTEM MUITO MAIS JOGOS DE TABULEIRO DO QUE OS TRADICIONAIS.

Se você só jogou Banco imobiliário, war, imagem e ação e similares na sua vida, eu tenho uma excelente notícia para você: existem MUITO MAIS JOGOS por aí para você conhecer!
Sério… É muita coisa. É tanta coisa e são umas experiências tão diferentes que os criadores e estudiosos do assunto começaram a criar um monte de nomes que você vai começar a aprender com o tempo. Fique tranquilo, porém, você não precisa conhecer tudo para sentar numa mesa e jogar, só de amigos e do jogo em si.

2-      JOGOS DE TABULEIRO SÃO MUITO DIVERTIDOS!

 Mesmo que você ache coisas como RPG “chatas e complicadas”, se você quer tirar seus filhos um pouco da frente do tablet e do celular, se você quer um motivo para reunir os amigos e tomar uma cerveja… os jogos de tabuleiro são uma excelente opção!
Como você viu no item 1, existem diversos jogos, com estilos diferentes, para momentos diferentes e turmas diferentes. Jogos mais tranqüilos e que vão fazer sua avó deixar a canastra de lado, jogos mais agitados e simples para fazer seus filhos, irmãos ou primos colocarem a destreza em prova, jogos para quem ama RPG e jogos para quem quer “quebrar a cabeça” com decisões difíceis e punições severas para a escolha errada.
Basta saber o que você quer exatamente e o tipo de jogo que vai atender essa necessidade.

3-      TÁ, GOSTEI… COMO COMEÇO?

Um jogo que costuma ser o primeiro de muitas pessoas é o Zombicide.
Sendo sincero, a melhor opção é começar jogando os jogos dos outros. Seja em eventos, ludolocadoras (lugares onde você paga uma taxa para jogar jogos de tabuleiro) ou mesmo em grupos de jogos, antes de sair comprando jogos que você só viu em vídeos ou gostou do tema é melhor você experimentar a sensação dele na mesa. Mais importante que isso, saber se você vai ter com quem jogar com mais freqüência. Compre jogos não só pelo que você gosta, mas que também sejam jogados pelas pessoas que você tem perto e fácil para jogar. Os outros que você adora, mas não tem uma mesa consistente para jogar sempre, você jogará em eventos e encontros, ou as cópias dos amigos que já estão no hobby.

4-      O QUE É AQUELE TAL DE PNP QUE VOCÊ FALOU LÁ EM CIMA?

Os Campos do Caos , um dos nossos PNPs
PNP (print and play ou imprima e Jogue) é uma modalidade de lançamento de jogos em que ao invés de vender o jogo físico, se vende ou disponibiliza gratuitamente os jogos por meio de arquivos digitais, que você pode imprimir, recortar e jogar. Obviamente eles não têm todo o acabamento de um jogo que você compra, mas são excelentes para você começar ou quando estiver sem grana para um jogo, mas com vontade de experimentar algo novo.
Somos especialistas nesse tipo de publicação, com vários jogos nossos e de amigos disponíveis para você, inclusive jogos que você vai encontrar também nas lojas para vender, como o Space Cantina, Labirinx e Pocket Imperium!

Se você gostou dessa lista e quer mais, deixe-nos saber! Nós, do Studio teia de Jogos, temos enorme prazer de facilitarmos o acesso aos board games modernos para todos!
Sep
05
Meus dois centavos: como lidar com as ideias para jogos?
Esses dias teve uma discussão super interessante sobre o que as pessoas fazem para se manter focados no projeto de jogo que estamos no grupo de desenvolvedores. Isso mexeu comigo, porque finalizar projetos sempre foi uma das minhas maiores dificuldades e eu precisei deixar muita coisa pela metade até “encher o saco” e começar a terminar os projetos.
Por isso decidi dividir o que faço para manter minha mente focada no que estou fazendo e o que eu faço para colocar as ideias em seus devidos lugares (não é fácil, e muitas vezes acabam escapando uma ou outra, mas isso está no sistema também).

1-      Definindo o projeto principal

Essa parte é relativamente fácil, especialmente porque os padrinhos ajudam a definir isso. Essas escolhas se tornam fáceis e esses projetos geralmente consomem trabalho da equipe toda, por alguns meses (às vezes mais de um ano). Exatamente por isso esse tipo de projeto tem de ter uma linha própria de trabalho, ainda mais quando ele exige grande quantidade de esforço e preocupação. Esse, dentro do nosso cronograma de trabalho, passa a ser chamado de “projeto grande”.

2-      Colocando ideias menores para correr em paralelo

No nosso caso, como temos uma equipe de 4 pessoas, é possível trabalhar mais de um projeto ao mesmo tempo ( às vezes temos 3 ou 4 correndo simultaneamente, por motivos de algumas serem muito rápidas). Isso acontece dentro de algum critério, como velocidade de produção e capacidade de monetização do projeto pronto. Com isso em mente, e alinhando sempre com a estratégia de marketing que estamos desenvolvemos, definimos o que é interessante.

3-      Definindo o que deve ir para a geladeira

Isso é mais pessoal meu que algo coletivo do Studio, pois o Iaggo e o Jonatas têm processos criativos totalmente diferentes. Sempre que eu acho que uma ideia é mais para um jogo grande do que para um minigame, eu a deixo de lado tempo o suficiente para que ela se desenvolva e então a anoto. Eu ás vezes deixo as ideias se misturarem de propósito, ou uso um minigame para testar uma dinâmica que eu acho que ficaria interessante em um jogo grande.

4-      Descongelando ideias

Depois que o jogo grande é entregue, chega o momento de descongelar ideias. Nós preferimos colocar as ideias em votação pelos padrinhos e então fazer o que eles pedem. Se você não tem esse recurso, descongele a ideia que te dá mais prazer ou que tem mais relação com o que você quer fazer e divirta-se no processo.

Aug
31
O que é o Padrim e porque ele é tão importante para a gente?
Se você já segue nosso blog e já conhece nosso trabalho e nossos jogos, já deve ter ouvido falar brevemente (ou mais que brevemente) sobre o nosso Padrim, mas não ter a mínima ideia do que se trata.
Exatamente por isso vamos explicar melhor o que é o Padrim, como ele funciona na nossa vida como Studio e a nossa relação com ele , além da nossa relação com nossos padrinhos e as vantagens que você tem ao se tornar nosso padrinho.

O que afinal é o Padrim?

 O Padrim é um site que permite que produtores de conteúdo coloquem seus projetos à disposição para serem ajudados, e ao mesmo tempo permite aos fãs e consumidores de conteúdo ajudarem seus produtores favoritos com quantias em dinheiro que vão gerando recompensas (ou não).
É uma das formas mais interessantes e eficientes de diversos tipos de conteúdo se manterem, como podcasts, canais de youtube, blogs… E a gente.
É interessante de falar que quando procuramos o Padrim o site estava começando, inclusive é comprazer e orgulho que dizemos que muitos outros projetos no nosso mercado vieram depois do nosso, alguns inclusive por indicação direta. Já é algo que, se tudo der amanhã, dá para dizer “pelo menos a gente fez isso”.
De forma bem simplificada, o Padrim é uma forma de nos mantermos funcionais e sem causar prejuízos demais às nossas finanças pessoais, fazendo com que a produção tenha um retorno mais direto.

Qual a importância disso para o Studio? E as vantagens para quem apóia?

Além da importância óbvia de ainda ser nossa principal fonte de renda, o Padrim ainda tem algo que é de suma importância para a gente: os padrinhos.
Nossos padrinhos são extremamente importantes na nossa vida como Studio. Eles decidem muitas coisas, eles já barraram jogos e eles decidem quais são os jogos que vão para frente e quais não vão (o Rampage é um claro exemplo disso, e quando ele terminar, eles escolherão mais um). Ahn, fazemos um sorteio por mês pros padrinhos, de brindes que vão de kits de peças da Ludeka a protótipos.
Além disso, os padrinhos são nossa primeira fila de teste. Eles recebem tudo primeiro e tem a palavra final sobre como fica jogo X ou Y, decidem quais serão as próximas metas do financiamento e ainda mais: agora eles terão a vantagem de poderem escolher qual será o jogo que irá para o print on demand depois do Seguem Alterações do Cliente.
Isso será a grande novidade que irá acontecer durante o financiamento do Seguem Alterações do Cliente: Todos que comprarem serão convidados a ficar como padrinhos até o próximo financiamento, que vai acontecer logo depois que as cópias de financiamento do Seguem Alterações forem entregues.

Quais são as facilidades de ser um padrinho do Studio Teia de Jogos ?

·         Praticidade: O login no Padrim é super simples e você pode colocar no cartão de crédito (ou no boleto se preferir).
·         Segurança: é tudo garantido e documentado, então não vamos “sumir com seu dinheiro.
·         Contato constante com os autores: apesar de sermos figuras fáceis na internet, damos uma atenção especial aos projetos dos padrinhos, ainda mais agora que estamos querendo virar editora.
·         Poder de decisão: Você decide um monte de coisas dentro do Studio, e nos ajuda com sugestões nas artes e tudo o mais. Além disso, se você tiver uma sugestão de tema para minigame, você pode mandar para a gente e terá uma resposta em breve!
Barato: à partir de 5 reais você já ajuda, o Teia Club está prevista para ter o investimento de R$10,00 mensais

Agora só falta uma coisa: você se cadastrar no Padrim e se tornar nosso padrinho ou madrinha! padrim.com.br/teiadejogos
Aug
21
Por que não fomos ao Diversão Offline e outras coisas
Resultado de imagem para diversão offline
Esse fim de semana aconteceu o Diversão Offline, que muitos apontam como um dos maiores eventos de Boardgames do calendário. Não comparecermos, não porque não quiséssemos, mas porque nos foi impossível.

Quem conhece a gente mais de perto sabe que tem uns meses que a gente não aparece em eventos. Por motivos diversos, que incluem a minha mudança para Sorocaba (o que faz com que a presença em qualquer evento em São Paulo bem mais cara para o Studio) e outros detalhes.
Além disso, estamos em plena campanha de reformulação do Studio, que vai incluir o Teia Club (nosso clube de print on demand, que será lançado em breve, com o novo financiamento do Seguem Alterações do Cliente), novos objetivos do Studio e mais um tipo de conteúdo que queremos trazer para vocês.

Sócio novo, conteúdo novo

Não sei se vocês sabem, mas o nosso novo sócio, o Iaggo, não é só um excelente ilustrador, mas ele também desenvolveu uma forma diferente de criar aventuras solo! De estilo similar as tão conhecidas aventuras solo, elas tem algo de especial. Ele disponibilizou algumas nesse link aqui.
Nossa ideia a partir de agora é fazer dessas histórias um conteúdo adicional do Studio, colocando algumas delas disponíveis de graça na internet e quem sabe financiar livros com algumas outras no mesmo estilo… Quem sabe? Isso é o que vocês podem nos dizer.

A sua vez de ter voz

Se você já vem nos seguindo nas mídias sociais ou simplesmente quer um motivo para nos apoiar no Padrim, o momento é esse! Comente aqui o que você acha que seria incrível se a gente fizesse e que com certeza te faria se tornar um padrinho nosso!

Aug
02
Seguem Alterações do Cliente: como vai ser a nova campanha?
O Seguem Alterações do Cliente vai entrar em nova campanha de financiamento coletivo, mas será muito diferente da primeira. Não só pela primeira não ter dado certo, mas porque ela abriu nossos olhos sobre o que queremos como editora e o que realmente importa para nós.
Vamos falar mais sobre essa campanha e sobre o novo foco que o Studio terá, que será algo inédito e acreditamos interessante para  aqueles que já gostam do que fazemos.

Um fim de ciclo interessante

Nossa campanha de financiamento coletivo terá como grande diferencial o fato de focarmos especialmente no cliente final, de precisarmos de muito menos pessoas e o tratamento que será dado depois da campanha, além da forma de produção.
Depois de percebemos que o formato tradicional de tiragem e venda posterior não é estrategicamente interessante para nós, buscamos um parceiro para a produção de um print on demand diferenciado.
 Vamos manter sigilo ainda do parceiro, mas recebemos amostras de jogos já prontos e além de satisfeitos estamos animados, pois eles vão ficar muito bons!
Além disso, esse primeiro financiamento coletivo, que será feito novamente no Catarse, vai levar os interessados em comprar o Seguem Alterações do cliente por um tour sem compromisso pelo coração do nosso Studio.
Estas pessoas serão padrinhos e madrinhas, com todos os direitos inerentes, até a entrega do jogo. Isso vai incluir os sorteios, as discussões sobre o futuro do Studio, todo o resto…
Além disso, essas pessoas vão ser convidadas, enquanto esperam a entrega do Seguem Alterações do Cliente, a participar da eleição do próximo jogo que será disponível em uma pré venda exclusiva para padrinhos, com valor especial.
Ou seja, você vai comprar o jogo, vai conhecer o Studio por dentro, em um momento especialmente interessante, já que estamos com planos de oferecer mais coisas aos padrinhos e ainda vai ajudar a escolher qual será o próximo jogo a ser colocado na nossa pré venda exclusiva para padrinhos.

Como vai ficar o Padrim com tudo isso? E se eu não quiser participar?

Antes de começarmos a pré venda exclusiva do jogo, já estaremos com uma reformulação completa do Padrim, com novas metas, novos produtos e ainda mais coisas para os padrinhos e para a comunidade em geral.
Se você não puder (ou não quiser) participar da campanha do Seguem Alterações do Cliente, poderá comprá-lo por um valor cerca de 20% maior depois da campanha no site do nosso parceiro (sim, vamos manter suspense sobre quem é o parceiro, podem tentar descobrir se vocês quiserem!) e sempre poderá se tornar padrinho e participar do que estamos chamando de Teia Club, que é esse clube de compras com desconto misturado com mystery Box, com a vantagem de que não tem “mistério” nenhum!
Isso vai ser um fechamento do ciclo dos jogos que colocamos em PNP, sejam nossos ou de parceiros interessados. Todos os jogos lançados anteriormente podem sair pelo Teia Club e estamos com excelentes propostas para autores que quiserem aproveitar ( mas agora só para lançamento em 2018, pois nosso calendário para 2017 está fechado já).
Logo menos traremos mais detalhes de produção e a data de lançamento desta campanha.

Jul
18
Gateways: a visão de Jordan Florio de Oliveira
Imagem relacionada
Uma das decisões de mercado que fizemos quando decidimos dar a cara à tapa mais uma vez e entrarmos no processo de nos tornarmos uma editora (esse processo está longe de terminar, para os curiosos) é de que nossa especialidade seriam os gateways e jogos mais casuais.

Decidimos isso em prol de uma lógica simples: existem diversas editoras se preocupando em atender o jogador “já iniciado” e o “hard gamer”, mas salvo a Geeks ‘n Orcs, que anunciou essa decisão de forma quase simultânea conosco, mais ninguém tinha demonstrado esse interesse de colocar estas pessoas que estão entrando no hobby como seu público principal.
Independente das decisões estratégicas que nos levaram a essa decisão, isso nos levou a uma reflexão extremamente interessante: afinal: o que é um bom gateway?
Não sei dos outros sócios, já que acabamos não falando mais disso, mas eu acabei chegando a uma conclusão que vou dividir aqui com vocês.

Que se abram os portões! (desculpe, piada infame)

Resultado de imagem para portal
Quando você fala de jogos de tabuleiro, as interações acabam caindo em duas grandes correntes, que muitas pessoas consideram conflitantes, mas que na verdade podem ser complementares: o determinismo e a aleatoriedade.
Essas duas formas de interação do jogo com o jogador levam às correntes de pensamento diferente, já que é necessário resolver problemas de tipos diferentes com cada um desses tipos de pensamento.
No que eu acredito em relação a jogos que serão a primeira experiência das pessoas? Existe algo chamado curva de aprendizado, que é diferente para cada pessoa e tem relação profunda com gostar de jogos ou não.
Se pararmos para pensar, o raciocínio é até simples: os jogos são desafios mentais, e os objetivos de nos desafiarmos é nos sentirmos, de alguma forma, recompensados pelo investimento de tempo e raciocínio que fizemos. Quando superamos essas dificuldades, ativamos o sistema de recompensa do cérebro e passamos a gostar de jogos.
A questão é, quando nos sentimos encurralados e sem nenhum tipo de evolução dentro do ambiente de jogo, nos sentimos frustrados e passamos a considerar aquele tipo de experiência ruim. Em alguns casos extremos, chegamos a desenvolver um trauma desse tipo de situação.
Com essas duas informações em mente, é cada vez mais óbvio o que um bom gateway precisa oferecer: a possibilidade de ativar o mecanismo de recompensa do jogador iniciante e não causar a frustração dele não ter conseguido cumprir nada no jogo.
Mas aí você pensa, e por que raios você falou de determinismo e aleatoriedade antes disso?
Simples: porque o bom equilíbrio desses dois elementos é o sucesso de qualquer jogo, mas no caso do gateway isso é ainda mais dramático.

Um campo justo, independente da sua bagagem

Quem conhece um pouco mais de game design sabe que as mecânicas não são exatamente originais. Sejam os jogos clássicos ou os modernos, novas mecânicas demoram décadas para aparecer, então os game designers precisam misturar as mecânicas já existentes e criar novas dinâmicas para trazer algo original ao mercado.
Por ser algo no qual temos algum controle, quando estamos pensando em criar um jogo para ser um gateway, precisamos pensar que é a primeira vez que pelo menos parte do público senta em uma mesa de jogos, sem pensar nos clássicos como War e banco imobiliário.
Também precisamos pensar naqueles que estão jogando com os novatos e que não os são. Se o seu jogo for um desafio interessante apenas para novatos, por que raios alguém com mais experiência iria jogá-lo? Ou então se acaba caindo no mesmo estereótipo de muitos gateways, de ser um jogo que basicamente “é superado” e nunca mais vê mesa.
Resultado de imagem para catan grow
Como responder a essa série de necessidades levantadas de forma simples e direta? Para mim, o ideal é sempre buscar referenciais que apresentem as mecânicas usadas da forma mais simples possível. Usar causa e efeito diretamente é algo que eu considero muito válido, como acabei usando, meio que por acidente, na criação do Machina.
Finalmente, coloque uma dose considerável de sorte. Jogos deterministas demais dão uma vantagem grande demais para quem já conhece jogos modernos, então uma dose de sorte (dados, cartas ocultas para efeito take that) e uma dinâmica de pontuação mais dinâmica ( sem aquela sensação punitiva de que toda a estratégia de um jogo com duração de partida com mais de meia hora vai ser comprometida sem retorno por uma ou duas decisões ruins).
Quero saber também o que você acha. O que é um bom gateway para você?
Jul
12
Apresentação do novo sócio do Studio!

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Olar! Eu sou o Iaggo Piffero, curso análise e desenvolvimento de sistemas, gosto de aprender o máximo que posso sobre outros idiomas e sou viciado em criar coisas. Aprendi a desenhar com meu pai antes dos 6 anos de idade e não parei desde então.

 Sempre tive desenhos que passavam na televisão como referências e as HQ´s que meu pai tinha da Marvel e acho que isso foi uma das coisas que veio para a minha personalidade como desenhista.

Meu contato com boardgames sempre foi o mais raso possível (banco imobiliário, uno, war) mas tinham uns que se destacavam por sua matemática e que se destacavam (xadrez, rummikub). Mais ou menos com 11 aprendi a jogar xadrez e comecei a ir em torneios (mesmo sendo péssimo estrategista), é uma paixão até hoje. Sobre a parte criativa (sempre tive), me dava muito bem em criar personagens, ou situações.

Desenhava capítulos de histórias totalmentes aleatórias quando era pequeno, fazia origami e tentava ao máximo inventar novos a partir dos que já sabia. Hoje, tenho algumas coisas concluídas nessa mania de inventar: músicas, jogos de celular, boardgames, HQ´s(mesmo que só no papel e lápis) e livros-jogo.

Agora estou me profissionalizando em ilustrações fazendo freelas de jogos e quem sabe outras coisas do ramo.

Conheci o Teia como qualquer outra coisa hoje em dia, com uma postagem no facebook. Falando seus objetivos, no que acreditava e logo achei o máximo (até por que estava com um jogo em PNP já arrumado, mas nunca toquei pra frente). Depois tive contato melhor com o Jordan e me aprofundei mais nos projetos do teia, sempre tentando ajudar ao máximo. Acredito que o jeito diferente de trabalhar com PNP, é o melhor jeito de atingir quem não tem possibilidade de estar sempre comprando jogos bons (na maioria das vezes caros) e alcançando o tipo de público que ou não conhece, ou não tem como se aprofundar nos mundo dos boargames.

 Ter sido chamado para fazer parte desse time foi uma enorme surpresa e alegria também, espero conseguir colaborar corretamente e atingir as expectativas. Obrigado pela oportunidade e até mais!

Conheça mais do trabalho dele em um minigame minha autoria que ele está ilustrando: TOTEMICA!

Free Web Hosting