Feb
04
Encontre seu Ukulele: Mais uma lição de Amanda Fucking Palmer

Resultado de imagem para ukuleleanthem

 

Que eu sou um fã apaixonado pela Amanda Palmer não é nenhuma novidade para você que já está aqui há algum tempo. Se você nem faz ideia de quem seja, eu fico feliz em apresentá-la para você:

Ela é uma cantora, escritora e artista performática que entre outras coisas escreveu “A arte de pedir”, um livro que mudou muito o que eu acreditava sobre ser um artista e sobre ter uma plataforma de financiamento coletivo.

Foi ela que me inspirou abrir o Padrim logo no começo do Studio, que me inspirou a correr atrás de um sonho, mesmo que ele fosse maluco demais para ser realizado. Sem nunca ter feito um jogo ela é uma das minhas maiores influências. Acontece que eu andei totalmente obsessivo com uma música dela já tem alguns meses: ukulele anthem.

Por diversos momentos eu pensava que era porque era uma das músicas mais animadas dela, já que eu infelizmente não estou conseguindo lidar com músicas tristes e soturnas nos últimos meses pelo excesso de tragédias pessoais eu andei passando.

A realidade é que essa música tinha um conselho para mim, um conselho que eu só entendi depois que eu tropecei na solução de um problema que eu mal sabia que tinha. É, estou falando desse tipo de problema que você simplesmente acha que existe como uma das “colunas da realidade”, ou seja, que não haveria o que se fazer sobre ele.

Tá, vamos largar de bobagem e falar sobre o que aconteceu comigo e porque eu acho que é importante falar sobre isso, e como essa música me fez entender porque isso é incrível.

Qual a ideia desse ukulele?

Para entender o que é o ukulele na história toda você precisa entender a outra ponta da metáfora: o piano.

Amanda Palmer é uma pianista e uma cantora. Essas eram as duas formas principais que ela tinha de expressar a música dela e bem, um piano não é ao que você leve para todo o lugar.

Estamos falando de uma artista que sempre gostou de se apresentar na rua ir para o todo o canto. Nem o piano e nem o seu modelo mais recente, o teclado, são exatamente coisas fáceis de se levar, e isso entristecia Amanda, porque ela queria expressar essa parte da arte dela, mas havia um trabalho enorme envolvido.

Quando ela encontrou o ukulele, que você deve saber é um ”mini violão” bem fácil de ser aprendido e de ser levado para qualquer lugar, ela realmente ficou eufórica!  (um dos títulos que o ukulele ganhou graças a ela é varinha do trovão, então você pode ter noção do que foi isso para ela).

Isso porque o Ukulele se tornou uma forma fácil de levar a sua arte para onde fosse, sem esforço, e como máximo de retorno possível. Esse é o ponto central da coisa toda, o que a música está falando e eu demorei tanto tempo para entender: todo o artista deveria achar seu ukulele!

Encontrei meu Ukulele!

Resultado de imagem para ukulele nice view

Se existe uma verdade sobre mim é que eu tenho mais ideias do que sou capaz de levar adiante. Isso é bem comum e você pode se sentir de forma parecida em diversos aspectos. Poucos de nós são efetivamente game designers como única profissão e muitos dizem que é simplesmente impossível viver só disso dentro do ramo dos boardgames.

Resultado: pouquíssimo tempo de desenvolvimento.

Some a isso que eu sou um desenvolvedor que tem nas palavras sua grande força (e ainda assim sou ridículo escrevendo manuais, vai entender), que é uma forma chique de dizer que eu não sei desenhar e nem design gráfico.

Outro ponto a ser lembrado é que desenvolver cenários de RPG, apesar de ser mais rápido, não atende todo o meu desejo como desenvolvedor, então eu fico com um piano a ser levado para cima e para baixo, que é o desenvolvimento e fechamento de contrato dos meus jogos com as editoras.

Só que felizmente isso acabou porque eu achei o meu ukulele e ele se chama roll and write! Esse tipo de jogo se tornou extremamente divertido, simples e intuitivo de desenvolver para mim, e eu consigo prototipá-los (de forma bem feia, mas funcional) no Excel!

Rolar os dados é tocar meu ukulele! É algo que eu vou pensando enquanto trabalho, rascunho por 2 minutos, em 10 coloco numa planilha e no fim do dia já tenho feedback de amigos que jogaram o jogo mais de uma vez!

Contei isso tudo para que você pudesse entender porque a busca pelo Ukulele tinha de ser uma das missões principais na vida de qualquer artista ou criativo! Você já tem seu Ukulele?