Jan
25
Meus dois desafios e o financiamento recorrente do Teia de Jogos
Toda a vez que eu falo de financiamento coletivo, tenho de citar essa musa

Depois de pensar um pouco mais sobre isso, decidi que realmente quero voltar com o financiamento recorrente do Teia de Jogos, e também decidi que irei fazer algumas coisas diferentes do que estava pensando antes.

Descobri o que quero e porque acho digno pedir dinheiro para conseguir me dedicar a esse objetivo, e decidi ainda usar o financiamento do Testland como base para o que eu vou fazer de forma independente a partir de agora.

Mais importante do que isso, eu decidi que desejo deixar claro o que é importante e quais são meus objetivos com o financiamento recorrente. Decidi chamar esses dois focos centrais de trabalho de “os dois desafios”.

O que são os Dois desafios e porque eu acho que eles valem à pena?

Os dois desafios são coisas que eu considero extremamente importantes de serem expandidas. Uma delas já era meu motor motivacional desde sempre e a segunda eu descobri no caminho, mas ela é ainda mais desafiadora.

1º desafio: democratização

Se você já está aqui faz tempo, já deve inclusive estar de saco cheio de ouvir sobre democratização dos jogos. A realidade é que o pretenso renascimento dos jogos de tabuleiro é elitista e deixa um dos focos principais para trás: as crianças.

Mesmo as indústrias de brinquedos estão cada vez menos interessadas em lançar jogos, por resultados menos interessantes financeiramente falando do que em outros produtos, especialmente os que envolvem desenhos animados e outros programas que as crianças e pré adolescentes vêem ( não é a toa que os Irmãos neto viraram uma marca desejada).

Tivemos uma primeira vitória com o Dino Wars, mas eu quero mais. Quero mais jogos meus sendo vendidos a preços interessantes e quero mais desenvolvedores colocando seus jogos para esses mercados.  Além disso, existem outras formas de jogos que são extremamente baratos que podem ser explorados.

Em cima dessa necessidade de fazer os jogos acessíveis para todo mundo, eu acabei esbarrando no segundo desafio.

2º desafio: inovação

Seguindo pelo caminho de democratizar, eu percebi que teria de inovar também, porque para fazer mais barato, não bastava ”fazer pior”. Eu precisava fazer tudo novo. Desde o começo do Studio até hoje, eu tinha uma série de convicções que foram modificadas pela minha experiência.

Hoje, eu acredito que esses dois desafios podem ser transformados em ideias, propostas e novos produtos, que eu posso ir lançando, com a ajuda de vocês! Produtos mais solidificados, com Marble Universes, podem ter financiamentos separados, mas esse é o tipo de coisa que iremos conversando no caminho.