Oct
31
As novas diretrizes do Studio teia de Jogos.

Como diz um canal de Youtube que muito aprecio “subi á montanha mais alta e falei com a mulher mais sábia”. Isso basicamente quer dizer que aqueles mais de 20 dias que eu fiquei sem postar nada no Teia e nem falar nada sobre jogos me deram uma nova perspectiva para coisa toda.

Sim. Esse quase um mês foi um afastamento total. Também não joguei nada. Nada mesmo. Digital, analógico, nada.

Eu tinha entrado em um estado tão extremo de exaustão em relação aos jogos, ao mercado de jogos, a todas as negativas e problemas e dificuldades que eu encontrava para fazer com que as minhas ideias fossem para frente que eu cheguei a pensar em desistir.

Acabar com o Teia, com tudo. Apenas jogar e isso ainda com bem menos frequência.

Nesse meio tempo eu desenvolvi um apreço bem grande pelo scratchbuilding e tudo o mais (se vocês quiserem depois eu posto meus mechs aqui, mas meus amigos já devem estar de saco cheio com isso, porque eu me empolgo quando me envolvo nessas coisas).

De uns dias para cá eu comecei a jogar meus joguinhos digitais de novo, fiquei com vontade de jogar isso ou aquilo, e de repente já estou com vontade de voltar a trabalhar com os meus jogos, mas o medo de entrar na mesma situação desesperadora de antes voltou.

Foi quando me vieram duas ideias simples, mas maravilhosas, que eu vou começar a explicar aqui com mais detalhes.

Duas frentes de ação principais

Falando da atuação que eu quero ter para o mercado de entretenimento (estou estudando formatos para entrar no formato de treinamento e educacionais, inclusive procurando parcerias) ela vai ocorrer em duas frentes distintas, embora complementares em alguns momentos

  1. Os jogos feitas para editoras parceiras
    Vou manter a minha criação de jogos de tabuleiro e RPGs com o foco central de oferecer possibilidades para indústrias de brinquedos e editoras de nicho parceiras. Aceitarei encomendas e irei mostrar alguns projetos de minha autoria, que serão desenvolvidos até o momento de entre um conceito e um jogo pronto.
    Primeiro porque eu quero dar espaço e liberdade para a editora parceira poder adentrar o projeto sem precisar tirar demais do meu trabalho já feito e também porque assim eu fico menos tempo em cima de cada projeto, já que não quero desenvolver o jogo atém o fim e então tentar vendê-lo como aconteceu anteriormente.
  2. Produtos digitais para RPG e outros jogos: aqui é a “inovação” do dia. Na verdade apenas algumas pequenas mudanças na forma como eu ofereço meus produtos e uma retomada em uma coisa que eu sempre gostei do Teia: jogos gratuitos para todo mundo.
    Aqui a ideia vai ser simples: eu vou colocar um financiamento coletivo de um jogo em fase inicial de desenvolvimento e as pessoas vão me apoiar para que eu escreva o jogo até o fim, sendo que o trabalho de outras pessoas, como ilustradores, para aumentar ainda mais a qualidade do material divulgado.

Eu vou fazer o primeiro teste do segundo modelo com o segundo livro do Marble Universe, Testland. Para que isso seja possível, eu vou liberar gratuitamente o 16 toneladas, o primeiro livro, gratuitamente no Dungeonist.

Vou fazer uma pré campanha de alguns dias ( uns 15, 20 acredito) e então colocar o projeto no ar. Nessa primeira opção sem metas adicionais e sem nenhum tipo de coisa adicional, testar a ideia “pelada” e ver o que acontece.

Vamos em busca de uma nova forma de publicar jogos?